Os Defensores | Crítica – Parte 1

O artigo abaixo refere-se aos 4 primeiros episódios disponíveis pela Netflix para a imprensa, e não contém spoilers.
Marvel’s The Defenders

O grande momento das séries da Marvel finalmente chegou, depois de dois anos preparando o terreno com temporadas que focam isoladamente em Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro, finalmente temos a união dos heróis contra um mal maior. O Cinelogin teve acesso antecipado aos 4 primeiros episódios de Marvel’s The Defenders, e agora faço um resumão do que vocês vão encontrar na série, não se preocupe, não vai ter spoilers.

Se você tá ansioso pra ver a equipe em ação com coreografias elaboradas, saiba que terá que esperar um pouco mais. O primeiro episódio serve como um resumão para que a gente tenha noção de como cada personagem anda, e tirando algumas interações entre personagens secundários, os heróis tem poucas conexões entre si. Luke Cage saiu da prisão, Jessica Jones continua investigando casos, Danny Rand e Colleen buscam maneiras de derrotar o Tentáculo e Matt Murdock decide aposentar o manto do Demolidor após os acontecimentos no fim da segunda temporada.

Com essa árdua tarefa de situar todo mundo e unir séries com estilos totalmente diferentes, a série opta pelo caminho mais fácil porém igualmente eficaz: a distinção por cores. O design de produção, o figurino e a fotografia deixam bem claro qual personagem está sendo retratado antes mesmo dele aparecer. Assim o Demolidor é cercado por tons de vermelho, Jessica Jones pela cor roxa, Luke Cage em tons amarelos e o Punho de Ferro pela cor verde. Ate a vilã, da qual falarei mais a frente tem sua cor, tons brancos e cinzas. Às vezes chega a ser bem power rangers, com cada um usando uma roupa com a sua cor, mas não é nada que chegue a comprometer a composição da série.

Marvel’s The Defenders

O ritmo da série talvez incomode aqueles fãs mais sedentos por cenas de ação, os encontros entre os personagens se dão de maneira gradual, primeiro em duplas e somente então “por acaso” como grupo. Não vou comentar quem se une a quem a princípio, mas é seguro dizer que todos os personagens ou estão no mesmo nível de suas séries solo, caso de Matt Murdock e Jessica Jones ou estão bem melhores, como no caso de Luke Cage e Danny Rand. Esse último chega a ser um milagre tamanha a evolução do personagem, se antes ele era mais um menino mimado que mal sabia lutar mesmo após 15 anos de treinamento exclusivo, agora ele chega até a ser um personagem meio que essencial para a união inicial dos Defensores.

Porém, passados os dois primeiros episódios que servem como uma grande introdução, a série praticamente vira outra, inclusive se torna um pouco mais leve, visto que praticamente todas as séries solos eram séries demais, parecia que tinha um “climão” a toda hora. A vilã Alexandra composta por Sigourney Weaver é outro ponto positivo da série. Com uma performance sem exageros, a atriz consegue impor um perigo que de fato justifique a união daqueles heróis, embora os seus planos ainda sejam todos cheios de mistérios até onde pude ver e este é certamente um ponto pelo qual fico ansioso pelo resto da temporada.

Marvel’s The Defenders

Obviamente não será a Alexandra a enfrentar os Defensores pessoalmente, mas parte do seu plano envolve uma segunda vilã que retorna ao MCU. Não vou revelar sua identidade, mas não é muito difícil de adivinhar se você já viu alguns dos trailers divulgados pela Netflix. Mas de qualquer forma não é algo que surge na série de maneira forçada, eu diria até que é mais um ponto positivo da série em fazer ligações entre os universos das séries.

  • Algo curioso: eu achei que Claire Temple fosse funcionar como o Nick Fury das séries da Netflix, já que ela teve contato prévio com praticamente todos os Defensores, mas não, aparentemente os Defensores não precisam da Claire como cupido.
  • Nunca achei que fosse ver Madame Gao submissa a alguém.
  • A abertura da série é linda, a melhor da parceria Marvel/Netflix até agora.
  • As coreografias das lutas estão bem superiores a Luke Cage e infinitamente melhor a Punho de Ferro, estão no nível Demolidor.
  • Aqui começamos a ter as primeiras informações relevantes sobre o Tentáculo.
  • Finalmente descobrimos o que é o Céu Negro, visto na primeira temporada de Demolidor.
  • Dos personagens secundários temos Claire, Collen, Misty, Karen, Foggy, Jeri Hogarth e a Trish.
  • A já clássica “luta no corredor” também marca presença e é bem empolgante.
  • Com um início bem promissor, a temporada completa de Os Defensores estará disponível na íntegra na Netflix no dia 18 de agosto, momento em que faremos a segunda parte da review.
Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s