Truque de Mestre: O Segundo Ato | Crítica

JM4_3241.NEF

Não é de hoje que o ser humano demonstra um certo fascínio por ser surpreendido. É o que nos atrai para narrativas, de qualquer gênero sejam (as bem contadas, pelo menos), para fatos inusitados, os fait divers, e, é claro, para espetáculos de magia.

A mágica, no entanto, tem algo a mais. Um show de ilusionismo é ao mesmo tempo um evento prazeroso e enervante: a não ser que o mágico seja o Mister M ou então se mostre particularmente ruim, você não terá ideia de como todas aquelas coisas fantásticas estão acontecendo.

É neste ponto, ao focar no que há por trás da ilusão, que Truque de Mestre, apesar de não ser um bom filme, ao menos conseguiu entreter, e onde sua continuação, Truque de Mestre: O 2º Ato, se perde completamente.

A história acompanha novamente as desventuras de Dylan (Mark Ruffalo) e seus Quatro Cavaleiros: Atlas (Jesse Eisenberg), McKinney (Woody Harrelson), Wilder (Dave Franco) e Lula May (Lizzy Caplan, substituindo a ausente Isla Fisher). Desta vez, sua missão é roubar um chip que dá acesso a todos os computadores do mundo, sob a ameaça do vilão Walter Mabry (Daniel Radcliffe, claramente curtindo ao máximo a participação).

truque_de_mestre_2_ato2

O longa nem tenta esconder que, desde sua estrutura até a construção dos personagens, é um filme de super-heróis. O que não é necessariamente um problema. A questão é que o roteiro assume também diversos aspectos mais genéricos em cima dos quais esses filmes costumam trabalhar.

O elenco em geral parece estar se divertindo, mas isso nem sempre quer dizer muito em termos de qualidade. E, apesar de alguns bons momentos, o humor é vacilante, errando muito mais do que acertando. Caplan, por exemplo, que é boa atriz, parece forçada como alívio cômico.

O roteiro também trabalha mal as reações do público ao quarteto principal. A julgar pela fama que têm, era de se esperar que não fosse assim tão fácil para os integrantes do grupo andar pelas ruas sem serem reconhecidos, mas é justamente o que acontece em muitos momentos.

Ao menos o roteiro demonstra ter consciência do quanto é ridículo e não tenta se levar a sério. O grande problema, na verdade, é que faltaram a inteligência e engenhosidade típicas de um mágico por trás da tela.

'Now You See Me 2' movie review

O filme não explica vários dos truques mostrados simplesmente porque não há explicação possível. Ou será que existe alguma forma de Atlas controlar a chuva e desaparecer em uma poça d’água sem que se tratem apenas de efeitos especiais?

Já o tal grande truque é incrivelmente tedioso e até meio óbvio. Enquanto o primeiro filme ia jogando pequenas pistas ao longo da narrativa para um desfecho surpreendente (um tanto infame, é verdade, mas ainda assim surpreendente), esta sequência prepara terreno para um final decepcionante, mas claramente não se dá conta disso. Assim, o ilusionista é quem se ilude e o público sai perdendo o valor da entrada.

Cotação-2-5

cartaz_truque de mestre2Truque de Mestre: O 2º Ato (Now You See Me 2)

Gênero: Ação, Comédia

Direção: Jon M. Chu

Roteiro: Ed Solomon, Pete Chiarelli, Boaz Yakin, Edward Ricourt

Elenco: Dave Franco, Daniel Radcliffe, Mark Ruffalo, Jesse Eisenberg, Morgan Freeman, Woody Harrelson, Michael Caine, Lizzy Caplan, Sanaa Lathan, Henry Lloyd-Hughes, Jay Chou, Justine Wachsberger, Alexander Cooper, Alexandra Fraser, David Warshofsky

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s