Vizinhos 2 | Crítica

Neighbors 2Vizinhos 2, continuação da comédia de sucesso de 2014 que colocou em lados opostos um jovem casal e uma fraternidade universitária, tem sido elogiado por seu conteúdo feminista. De fato, grande tema do filme, o feminismo é citado diretamente com frequência no longa e ronda diversas cenas.

A história começa denunciando o ambiente machista e hipersexualizador que existe em festas universitárias norte-americanas. Quando Shelby (Chloë Grace Moretz) descobre que estas celebrações são feitas com o intuito de forçar mulheres a fazer sexo, ela se une às colegas Beth (Kiersey Clemons) e Nora (Beanie Feldstein) para iniciar uma irmandade que pretende desafiar o status quo oferecendo festas próprias.

Claro que, assim como no primeiro filme, isso leva as garotas a uma rota de colisão com os planos de Mac (Seth Rogen) e Kelly (Rose Byrne), que, em vias de ter outro filho, precisam vender a casa para se mudarem para uma residência maior.

vizinhos2_2Fazer comédia sobre igualdade de direitos entre gêneros é sempre uma coisa complicada, e o equilíbrio necessário raramente é alcançado. A frequente insistência do roteiro no assunto acaba levando a questões complexas, que nem mesmo o final muito bem intencionado consegue apagar.

Por um lado, é louvável que o filme aja da mesma forma que em relação ao elenco masculino do anterior, dando às jovens com as mesmas doses de imaturidade e babaquice. Aliás, dá para dizer que elas são ainda piores, chegando, por exemplo, a roubar e vender todos os móveis e eletrodomésticos da casa de Mac e Kelly.

Essa imaturidade elevada à milésima potência, no entanto, pode passar uma mensagem avessa ao feminismo de seus personagens, pois contamina toda a forma como o grupo enxerga a questão. Há uma certa saturação do problema em cena e a frequência com que as garotas respondem a ele de forma absolutamente estúpida parece servir como reforço desses discursos escrotinhos e misóginos que circulam por aí na internet todos os dias.

vizinhos2_3Além de toda a problematização da questão de gênero, há uma dificuldade mais direta e clara: o filme é muito menos engraçado que o primeiro. Na verdade, dá para contar as risadas todas nos dedos de uma mão.

Em parte, isso é culpa da edição exageradamente veloz e entrecortada, que aqui não funciona muito bem. Em parte, o problema é a repetição quase exata da estrutura do longa anterior, com reciclagem de piadas e tudo. Em parte, a questão é que a graça simplesmente não vira e sobram sorrisos amarelos, piadas batidas sobre filhos que não ligam para os pais e personagens de pouco apelo (tirando Moretz, por exemplo, nenhuma das outras integrantes da irmandade ganha muita personalidade).

Claro que, no meio disso tudo, há boas sequências, como aquela, próxima do final, em que Kelly intervém em uma discussão entre as meninas ou quando o casal tem uma epifania em relação à filha. Porém, não são nem de longe suficientes para segurar o filme.

Cotação-2-5cartaz_vizinhos2Vizinhos 2 (Neighbors 2: Sorority Rising)

Direção: Nicholas Stoller

Roteiro: Andrew Jay Cohen, Brendan O’Brien, Nicholas Stoller, Seth Rogen, Evan Goldberg

Duração: 92 minutos

Gênero: Comédia

Elenco: Seth Rogen, Zac Efron, Rose Byrne, Chloë Grace Moretz, Ike Barinholtz, Kiersey Clemons, Dave Franco, Lisa Kudrow, Jerrod Carmichael, Christopher Mintz-Plasse, Beanie Feldstein, Clara Mamet, Awkwafina, Selena Gomez, Hannibal Buress, Elise Vargas

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s