Magic Mike XXL | Crítica

xxl 2O cinema foi originalmente criado para contar histórias diversas, que tinham começo, meio e fim dentro de sua duração. A maioria dos filmes ainda é assim, mas com a maior indústria de cinema do mundo, Hollywood, em crise criativa e querendo faturar cada vez mais, o ato de recontar a mesma história e mostrar os mesmos personagens em situações diversas várias vezes os faz criarem verdadeiras atrocidades com sequências, prelúdios, remakes e reboots intermináveis e absolutamente desnecessários.

Magic Mike é mais um destes casos, só que aqui é tudo ainda mais estranho, já que o filme original era uma história semi-biográfica de Channing Tatum, que interpreta o protagonista, mas seu alter-ego na verdade era o personagem Adam (Alex Pettyfer), que não aparece neste. Ou seja, com isso o filme joga fora qualquer semelhança com a realidade, além de qualquer conflito, drama ou jornada dos personagens, quer dizer, roteiro pra quê? O engraçado é que o suposto script foi escrito pelo próprio Tatum (junto com Reid Carolin), mas é simplesmente uma paródia do filme que sucedeu.

xxl 1Magic Mike XXL mostra como está Mike três anos depois de ter abandonado a vida de dançarino, ralando em sua marcenaria, até que recebe uma ligação de seus antigos parceiros de palco, que o convidam para uma última apresentação, numa convenção de strippers (será que é sério isso?), para todos descolarem uma grana e seguirem com suas vidas, já que Dallas (o MC e chefe do grupo no filme anterior, interpretado por Matthew McConaughey, que também não dá as caras) foi para Macau e levou somente Adam com ele. Mike, que além de estar todo ferrado (a namorada o deixou), não consegue resistir em rebolar quando ouve uma música que gosta, decide participar e cai na estrada com os velhos amigos. Daí o filme vira tipo um Pequena Miss Sunshine, só que de strippers.

Quem dera o filme mostrasse algum estudo de personagens neste road movie de saradões, mas é apenas uma sucessão de sequências com uma desculpa para fazer os caras tirarem a camisa, dançarem e sensualizarem para realizar fetiches femininos. Não deixa de ser divertido, pois o filme não se leva a sério nem por cinco minutos, e é impossível não cair na risada com alguns números “musicais”. Ver Tatum fazendo a Flashdance e Joe Manganiello sensualizando para uma caixa numa loja de conveniências ao som de Backstreet Boys é impagável.

xxl 3O longa anterior foi dirigido pelo aclamado Steven Soderbergh e foi elogiado pela crítica na época por manter uma narrativa dramática coerente, já este foi para as mãos do produtor Gregory Jacobs, que fez o que pôde com o material que tinha (ao menos soube usar muito bem os corpos dos atores), e a fotografia, apesar de diferente da do original, que tinha a marca de Sodderbergh, é muito boa, souberam explorar muito bem os cenários escuros e as externas noturnas, sem medo de abusar de sombras. Dizem que foi o próprio Soderbergh, com um pseudônimo, quem cuidou das imagens e da luz, faz sentido, já que é o ponto mais artístico do filme.

Magic Mike XXL nada mais é do que a objetificação masculina, não à toa homens hetero ficam um pouco incomodados quando assistem, mas tudo o que vemos já vimos milhões de vezes, só que com mulheres como objeto. Aqui são elas quem vibram, passam a mão e jogam dinheiro para os caras. É um filme feminista por isso? De forma alguma, não é esse tipo de igualdade que buscamos. Sequer há uma problematização do assunto, os caras estão ali apenas se divertindo, e o público só tem que embarcar nessa e se divertir também.

 

Cotação-2-5

Magic Mike XXL (Magic Mike XXL)

Magic Mike XXL - poster nacionalDireção: Gregory Jacobs

Roteiro: Reid Carolin e Channing Tatum, baseado nos personagens criados por ele próprio

Elenco: Channing Tatum, Juan Piedrahita, Sharon Blackwood, Alison Faulk, Josh Diogo, Joe Manganiello, Kevin Nash, Gabriel Iglesias, Matt Bomer, Adam Rodriguez, Vicky Vox, Javier Madrid, Dashaun Wesley Williams, Carrie Anne Hunt, Crystal Hunt, Raeden Greer, Amber Heard Depp, Lindsey Moser, Savannah Southern-Smith, Mel Chude, Stephen Boss, Jada Pinkett Smith, Luke Broadlick, Michael Strahan, Belle Eseoghene Omabele, Julia Black, Donald Glover, Kimberley Drummond, Judi Blair, Valerie Payton, Tequila Whitfield, Sydney Sims, Andie MacDowell, Jane McNeill, Rhoda Griffis, Ann Hamilton, Mary Kraft, Brandon Sauve, Elizabeth Banks, Tyler Shackelford, George Bruer, Chad Darnell, Adam Martingano, Viktor Derkach, Billy Reilich, Deidre Goodwin, Natalie Pero, Sarah Beth Bassak, Eboni A. Johnson, Kathy Deitch, Haviland Stillwell, Sonya Golub, Teresa Espinosa, Joy Leonard, Callum Roy Nicholas, Alyssa Taylor, Qualen Bradley, Jay Bronson, Clay Chamberlin, Brandon Cyrus.

Gênero: Comédia/Drama/Musical

Duração: 115 minutos

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s