Pequenas Joias do Cinema | Casa Vazia

casa vaziaTalvez você já conheça o diretor sul-coreano Kim Ki-duk do sucesso comercial “Primavera, Verão, Outono, Inverno… e Primavera”, porém, o artigo desse especial Pequenas Joias do Cinema será dedicado a um filme dele menos conhecido do grande público: Casa Vazia. O longa se propõe a uma tarefa árdua, contar uma história interessante em que os protagonistas são acometidos pelo silêncio absoluto, eles se conhecem, se identificam, se apaixonam mas não há nenhum diálogo entre eles durante todos os 88 minutos da projeção.

Assim, começamos acompanhando a vida do jovem Tae-suk, que invade temporariamente casas vazias durante a ausência de seus donos, e como forma de pagamento pela estadia, faz pequenos consertos e as lava roupas sujas que encontra. Numa dessas invasões, Tae-sul encontra Sun-hwa, uma ex-modelo que abandonou sua carreira e vive um casamento infeliz. Sun encontra em Tae a esperança de fuga daquela realidade que a sufoca.

3-iron-2A partir daí o filme embarca num verdadeiro auto-descobrimento dos personagens, acostumados à vida solitária (ele uma solidão de fato, ela uma solidão dentro de um relacionamento), ambos passam a invadir dezenas de casas juntos, e dedicam boa parte de tempo não só pagando pela diária forçada, mas conhecendo a vida daqueles que usurpam o lar através de fotos, vídeos, quadros, etc. E é através de pequenos gestos que a relação dos dois começa a crescer, Sun passa a se impor e Tae passa a gostar de ter uma companheira em suas aventuras.

É possível ter empatia por aquele casal que não troca sequer uma palavra pelo simples fato de que elas não fazem falta. Kim Ki-duk demonstra que ver, e portanto sentir, é melhor do que falar. Qualquer diálogo que fosse acrescentado no filme seria supérfluo. Vale destacar ainda que o silêncio é somente por parte dos protagonistas, os outros personagens falam, conversam, gritam mas nada parece atingir o casal. Os outro passam a ser somente isso… outros. Esse maniqueísmo entre nós vs eles serve para reforçar que tudo o que Sun e Tae querem é se isolar do mundo e passar despercebido da multidão.

3-iron-4E é aí que o filme muda um pouco de discurso pra se adequar à história. Se antes o diretor retirou o som para demonstrar a relação do casal, agora ele retira a imagem do protagonista que passa a não mais deixar rastros de sua passagem, ocupando sempre as margens do enquadramento da câmera e aí nós passamos a ter a mesma sensação que os demais personagens tem, como se uma pessoa estivesse ali sem de fato vermos alguém.

E é aí que ele some, mas, felizmente, não deixa de existir. Pelo contrário, é somente após o seu “desaparecimento” que Tae e Sun se encontram e passam a coexistir. Juntos eles não se anulam, mas se complementam, alcançando uma dimensão paralela que Kim-duk demonstra ser uma entrega total de si.

 

casa-vazia-posterCasa Vazia (Bin-Jip, Coréia do SuL, Japão, 2004)

Gênero: Drama

Direção: Kim Ki-duk

Roteiro: Kim Ki-duk

Elenco: Choi Jeong-ho, Hee Jae, Jang Jae-yong, Ju Jin-mo, Kwon Hyuk-ho, Lee Mi-suk, Lee Seung-yeon, Moon Sung-hyuk, Park Jee-ah

Produção: Ki-duk Kim

Fotografia: Seong-back Jang

Ano: 2004

Anúncios

Um comentário

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s