Bidu: Caminhos | Review

Bidu - caminhos capaQuem nunca quis ter um cachorro azul que nem o Franjinha? O famoso animal da Turma da Mônica que se tornou símbolo da Maurício de Sousa Produções foi o primeiro personagem criado por Maurício de Sousa para o jornal Folha da Tarde em 1959. Os mineiros Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho foram os escolhidos para recontar a história do filhote à sua maneira, e assim surgiu “Caminhos”, que narra como Bidu e Franjinha se conheceram.

A ideia aqui é colocar Bidu como o próprio narrador de sua história, o que se mostra como uma tarefa desafiadora, vez que o personagem não possui falas mas está presente em todo o projeto. Corria-se o risco de tornar a história em algo simplório, como aconteceu com a graphic novel do Chico Bento. Entretanto, a solução encontrada pela dupla, de fazer “falas desenhadas” contorna perfeitamente esse problema.

Bidu - caminhos 2Apesar disso, os roteiristas sentem a necessidade de colocar falas mesmo que não sejam necessárias, e fiquem extremamente fora de lugar, a frase “Essa é a história de como conheci meu melhor amigo” é repetida pelo menos uma três vezes, e da primeira já dava pra ter uma ideia do que ela queria dizer. Some-se a isso um roteiro que, embora saiba reapresentar bem personagens já conhecidos (como Bugu, Duque e Rúfius), se perde em alguns momentos, principalmente nas motivações de Bidu em relação aos demais. Mas nada que chega a comprometer o trabalho final.

As cores claras se mostram o verdadeiro atrativo da revista, ainda mais quando ela é utilizada para retratar a solidão e a melancolia do personagem-título. Em certos momentos você sequer consegue identificar Bidu numa paisagem chuvosa, e abandonado como ele se encontra, é como se aos poucos ele fosse deixando de existir, e é exatamente como nós vemos (ou não vemos) os cachorros de rua.

Bidu - caminhos 3A graphic novel ainda encontra espaço para um easter egg ao mostrar uma conhecida personagem de Maurício de Sousa, e aqui e ali explora o interesse científico característico do Franjinha tal qual estamos acostumados a ver nas revistinhas. No conjunto é uma obra agradável, como todas as outras do selo MSP.

Cotação-3-5“Bidu – Caminhos” – 2014
História e Arte:
Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
Cores:
Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
Editora Panini
82 páginas
Disponível em capa dura e brochura

One comment

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s