Terremoto: A Falha de San Andreas | Crítica

389329.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Filmes-catástrofe tem sido usados como meras desculpas para exibição de prédios explodindo, cidades colapsando e pontos turísticos desabando desde sempre. Mas não me recordo de ter assistido outro exemplar tão inacreditavelmente rasteiro do gênero quanto este Terremoto. O novo filme estrelado por Dwayne Johnson (aka The Rock) se esmera com afinco na tarefa de abdicar de ter um roteiro e empregar a fórmula pura e simples. Clichês, diálogos expositivos e subestimação da inteligência do espectador desfilam aos montes enquanto São Francisco rui perante os nossos olhos.

Dirigido até com uma certa energia por Brad Peyton, o filme consegue retratar plasticamente bem o que seria a completa destruição desta importante cidade norte-americana, mas de que adianta o prazer visual de ver os prédios desabando, represas estourando, tsunamis invadindo as ruas e mesmo a conhecida ponte ruindo se o nosso envolvimento emocional com os personagens envolvidos é zero? E mesmo esta virtude surge sabotada, já que os efeitos digitais (aquele carro caindo na cena de abertura!) e os movimentos impossíveis da câmera nos relembram constantemente a artificialidade do que estamos acompanhando, o que nos impede de sentir qualquer peso dramático da tragédia.

cena-de-terremoto-a-falha-de-san-andreas-1432699752604_956x500

E ainda que Johnson mais uma vez exiba seu característico carisma e faz o possível para salientar o lado dramático do seu herói, sendo acompanhado nesse esforço por Carla Gugino, a verdade é que o pavoroso primeiro ato do filme é tão preguiçoso e desajeitado em desenvolver aquele drama familiar que este acaba sendo um esforço em vão. E se Alexandra Daddario consegue a proeza de retratar o amor de sua personagem pelo pai apenas colocando em ação lições aprendidas com ele, sendo assim mais do que um mero rosto bonito para o filme, Hugo Johnstone-Burt não faz mais do que encarnar o esteriótipo do pateta simpático que conquista o amor da mocinha enquanto Art Parkinson é a típica criança precoce engraçadinha e Ioan Gruffudd, sendo o rival amoroso do herói, é naturalmente o babaca mor que certamente morrerá merecidamente ao longo da história. Esqueci de alguém? Ah sim! Paul Giamatti, que está no filme unicamente para cumprir a cota do professor que oferece as explicações científicas cabíveis para o desastre.

Mas a maior decepção de Terremoto (aliás, a terrível tradução do título surge curiosamente apropriada à obviedade do filme) é mesmo o roteiro de Carlton Cuse. Em determinado momento, ao sentir um tremor subsequente, ouvimos um figurante gritar no meio da rua: “Terremoto de secundário!”, uma fala terrivelmente artificial que só está lá para explicar ao expectador o que está acontecendo. Sim, porque somos completos imbecis que não conseguimos deduzir sozinhos assistindo ao filme.8552-thumb

Fechando com o indigesto apelo nacionalista norte-americano, como também é de praxe no gênero, o longa chega ao cúmulo de ignorar a dimensão da tragédia que ele mesmo retratou, e assim não se citam os inúmeros mortos e feridos que algo daquela dimensão certamente traria. Prefere focar no “espírito sobrevivente americano”, empenhando-se ao máximo em forçar um esperançoso e positivo final para o público sair feliz da sessão.

Afinal de contas, o que é um abalo sísmico assombroso que racha um estado inteiro quando a família protagonista é salva no final?

Cotação-1-5

Terremoto: A Falha de San Andreas (San Andreas)Terremoto: A Falha de San Andreas - poster nacional

Direção: Brad Peyton

Roteiro: Carlton Cuse, baseado em história de Andre Fabrizio e Jeremy Passmore

Elenco: Dwayne “The Rock” Johnson, Carla Gugino, Alexandra Daddario, Colton Haynes, Ioan Gruffudd, Paul Giamatti, Archie Panjabi, Vanessa Ross, Kylie Minogue, Will Yun Lee, Matt Gerald, Art Parkinson, Jackie Dallas, Hugo Johnstone-Burt, Stephanie Johnston, Janell Islas, Robin Atkin Downes, Breanne Hill, Marissa Neitling, Steven Wiig, Alec Utgoff, Morgan Griffin, Teresa Navarro, Ran Wei, Todd Williams, Christina July Kim, Caitlin Duff, Sandra Dee, Allan Poppleton, Natalie Stephany Aguilar, Jaden Alexander, Tina Gilton, Alan D. Purwin, Arabella Morton, Adam Reeser, Jaymes Butler, Dominique Maber, Tressa Ohler, Shannon Rebekah, Selena Caltabiano, Emily Marie Grant, Saskia Williscroft, Phillip E. Walker, Molly Shaiken, Yvonne Zarathustra, Isabella Rositano, Leilani Amour Arenzana, Harris Michaels, Ken Watanabe, Gretel Sharp, David L. Schormann, Kaylea Caulfield, Brook Edward Penca, Asabi Goodman, Brad McMurray, Hayley Gagner, John Reynolds, Afsheen Olyaie, John West Jr., Brodie Henson.

Gênero: Ação/Aventura/Drama/Suspense

Duração: 114 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s