Promessas de Guerra | Crítica

promessas_de_guerra3A guerra é ruim. Nela, pessoas morrem. Mais do que isso, filhos de pessoas morrem. Os três filhos de Joshua Connor (Russell Crowe) foram mortos no mesmo dia, em uma batalha em Gallipoli, na Turquia, durante a I Guerra Mundial. Seus corpos se confundiram com os de dezenas de milhares de outros jovens que nunca mais voltaram para casa. Depois que sua esposa Eliza (Jacqueline McKenzie) cedeu à pressão e cometeu suicídio, não restou a ele muita coisa a não ser ir atrás dos corpos dos filhos perdidos.

Este é o ponto de partida para uma jornada que mistura indiscriminadamente momentos açucarados e previsíveis a sequências de uma estranha crueza, que parecem saídas de algum outro filme. Irregular, de fato, é a melhor palavra para descrever Promessas de Guerra, filme de estreia do astro australiano Russell Crowe no posto de diretor.

Desde o início, ele demonstra ser um longa que não sabe exatamente o que quer ser ou aonde quer chegar. Às vezes, parece um romance água com açúcar, em outras é um drama com requintes trágicos e em determinados momentos, ainda, tenta desajeitadamente ser um filme de guerra eficiente. Nenhuma dessas coisas é muito bem executada, mas o longa tem seus momentos.

promessas_de_guerra2Um ponto positivo é a construção visual, que usa o deserto australiano e as paisagens turcas como pano de fundo para sequências de encher os olhos, embora tanta grandeza nem sempre encontre justificativa na história.

O roteiro procura tratar com respeito e igualdade o sofrimento vivido pelos turcos durante a guerra, fazendo do Major Hasan (Yilmaz Erdogan) e do sargento Jemal (Cem Yilmaz) personagens extremamente simpáticos e prestativos, cujo maior objetivo é, por algum motivo, ajudar Connor a encontrar o corpo de seus filhos. Embora bem intencionada, toda essa presteza em reconhecer o valor do outro lado acaba caindo em momentos caricatos envolvendo as tradições e hábitos turcos.

Há pouca fluidez também na relação entre Connor e a viúva de guerra Ayshe (Olga Kurylenko), que começa a história detestando o forasteiro para pouco depois cair de amores por ele. Todo esse núcleo da narrativa, aliás, parece desconectado de todo o resto, tendo como única função dar uma certa leveza para o filme, o que nem sempre funciona de forma ideal.

promessas_de_guerra4Promessas de Guerra, infelizmente, não é uma estreia das melhores para Crowe como diretor. Porém, também não é um desastre. Graças a atores e personagens carismáticos e à maneira despretensiosa com que a história é conduzida, apesar dos muitos problemas o público se entretém de forma satisfatória.

Em um raro momento em que aponta para a crueza da guerra, o filme demonstra o que poderia ter se tornado caso não tentasse tanto ser mais um drama inspirador e genérico. O fato de ser belo de se olhar durante a maior parte do tempo também não atrapalha. O que resta fazer é esperar que no próximo filme o ator e agora cineasta ao menos procure passar um pouco mais de sua visão artística para a obra.

Cotação-2-5Promessas de Guerra - poster nacionalPromessas de Guerra (The Water Diviner)

Direção: Russell Crowe

Roteiro: Andrew Knight e Andrew Anastasios

Elenco: Russell Crowe, Olga Kurylenko, Yilmaz Erdogan, Cem Yilmaz, Jai Courtney, Dylan Georgiades, Steve Bastoni, Isabel Lucas, Salih Kalyon, Megan Gale, Ryan Corr, James Fraser, Ben O’Toole, Jacqueline McKenzie, Jack Douglas Patterson, Ben Norris, Aidan Liam Smith, Damon Herriman, Sophia Forrest, Christopher Sommers, Dan Wyllie, Benedict Hardie, Max Benitz, Michael Dorman, Charles Allan, Ali Akdeniz, Robert Mammone, Deniz Akdeniz, Emrah Aksu, Thomas Unger, Bill Thompson, David Oliver, Jack Randall, Asena Gunduz, Aleyna Gunduz, Abdullah Eraslan, Diogenis Patsouris, Mustafa Ozluk, Serdar Ali Sagin, Ediz Nidai, Zev Eleftheriou, Jason Honeychurch, George Ogilvie, Stewart Kirwan, Gazi Yalcin, Brad Turner, Fabian Hevia, Ethem Temizkanoglu, Varlam Nikoladze, Ali Akkus, Agani Gecmez, Mustafa Konukcu, Robert Byron, Vincent Daniell, Ümit Demirbas, James Elliott, Canan Erguder, Michael Gilmour, Frederick Girdlestone, Eamon Pielow, Yunus Emre Sogukkanli, Allen Tiller, Fatih Ugurlu, Birol Tarkan Yildiz, Özcan Özdemir.

Gênero: Drama/Guerra

Duração: 111 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s