Vingadores 2 – A Era de Ultron | Crítica

Avengers Age of Ultron

O primeiro filme d’ Os Vingadores possui duas virtudes principais: a primeira, saber equilibrar com primor o destaque dado aos seus vários super-heróis, deixando todos com praticamente o mesmo tempo de tela sem nenhum jamais se sobrepor aos outros (ainda que o Tony Stark de Robert Downey Jr receba um certo protagonismo, por razões óbvias). Já a segunda é saber que seu vilão (o ótimo Loki de Tom Hiddleston) não possuía peso bastante para ser um desafio digno ao grupo (basta ver a surra que o mesmo toma do Hulk naquele filme), e como consequência o filme optou por não se levar a sério e acabou conseguindo um resultado divertidíssimo.

Pois bem, se por um lado este A Era de Ultron consegue o inacreditável ao não apenas continuar o feito do seu antecessor em dar a devida atenção a todos os seus personagens, mas mesmo ampliar o destaque dado a coadjuvantes como a Viúva Negra de Scarlett Johansson e o Gavião Arqueiro de Jeremy Renner e ainda por cima incluir novos rostos como os de Pietro e Wanda Maximoff (Aaron Taylor-JohnsonElizabeth Olsen, respectivamente), por outro este se distancia do primeiro ao adotar um vilão de peso inegavelmente maior. Inteligência artificial completamente incontrolável, Ultron surge neste filme como uma ameaça muito mais palpável, o que nos leva a realmente temer pelos heróis. Como consequência, ainda que algum humor seja dosado pontualmente, a verdade é que a pura leveza do primeiro filme ficou para trás e deu lugar a um tom mais sombrio, o que aqui devido a escala dos acontecimentos se revela mais do que apropriado.

avengers-age-of-ultron

E se já não há tanto espaço para humor, sobra para a ação. Os Vingadores 2 é um filme recheado de sequências de ação quase interrupta. Ação de primeira qualidade, é verdade, ainda que os movimentos de câmera em alguns momentos atrapalhe na compreensão da geografia das sequências, mas sem chegar a ser tão grave a ponto de comprometer. E se esse ritmo frenético auxilia na tarefa de construir uma escala de grandiosidade em níveis épicos como poderíamos esperar de uma aventura dos Vingadores (estamos falando da equipe dos maiores heróis do planeta, afinal), a verdade é que também por isso acaba comprometendo um pouco tanto o nosso entendimento quanto o nosso envolvimento com a história. Afinal, o mundo está em perigo e não há tempo para perder em maiores explicações ou no desenvolvimento dramático do personagem X ou Y. Assim, alianças são feitas e desfeitas e obstáculos são resolvidos com a maior rapidez, sem cerimônias. Há um ritmo alucinado a ser respeitado e a história precisa andar.

Isso fica claro logo na cena de abertura, onde os Vingadores já aparecem em ação e nenhum esforço é feito no sentido de ligar logicamente o filme com os seus antecessores das franquias solo dos personagens. Não é preciso explicar como que Tony Stark voltou a ser o Homem de Ferro (contrariando o final de Homem de Ferro 3) ou como os Vingadores voltaram a se reunir mesmo após o fim da SHIELD (como visto em Capitão América e o Soldado Invernal). Não há tempo a perder com isso.

Avengers-2-031-hulk and widow

tumblr_nes291AP9D1thasdlo8_500Não que não haja alguma tentativa de desenvolvimento dramático. Temos o envolvimento entre Natasha e Bruce Banner, a experiência traumática dos gêmeos Maximoff, a ligação familiar do Gavião Arqueiro e mesmo a tensão que todos sentem das falhas éticas de Tony Stark. E não é nem uma questão de que o diretor Joss Whedon não soube construir isso devidamente. A bem da verdade, tudo isso está muito bem costurado ao longo da duração do filme. Acontece que o longa acaba sendo refém da própria ambição, e o escasso tempo e a pouca calma nesses desenvolvimentos acabam por diluir o impacto que estes deveriam causar no expectador.

Afinal de contas, conte comigo: temos no filme a participação de Homem de Ferro, Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Mercúrio, Feiticeira Escarlate, Visão e ainda participações menores de Nick Fury, Máquina de Combate e Falcão. Total da contagem: 12 super-heróis. Impossível conseguir desenvolver a contento todos eles, já é formidável conseguir colocar essa quantidade toda num filme só sem fazer o público se perder. Prova da consistência inegável do Universo que a Marvel conseguiu construir com suas franquias no cinema.

A partir de tudo isso, concluo que Vingadores 2 é o melhor filme possível de ser feito dentro da tarefa hercúlea que se propôs a fazer. Não chega à perfeição, mas ainda é entretenimento de primeira.

tumblr_nkrj5xVTiV1rdqbfro9_500-1429584521

 

Cotação-4-5

 

Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron)

Vingadores: Era de Ultron - poster nacional

Direção: Joss Whedon

Roteiro: Joss Whedon, baseado nos quadrinhos criados por Stan Lee e Jack Kirby

Elenco: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, James Spader, Aaron Taylor-Johnson, Hayley Atwell, Cobie Smulders, Elizabeth Olsen, Tom Hiddleston, Idris Elba, Linda Cardellini, Samuel L. Jackson, Andy Serkis, Paul Bettany, Stan Lee, Stellan Skarsgård, Lou Ferrigno, Dante Briggins, Claudia Kim, Anthony Mackie, Julie Delpy, Don Cheadle, Thomas Kretschmann, Dominique Provost-Chalkley, Mariola Jaworska, Nick W. Nicholson, Daniel Westwood, Judit Novotnik, Dilyana Bouklieva, Mark Haldor, Nondumiso Tembe, Isaac Andrews, Aurora Fearnley, Bari Suzuki, Guy Potter, Lukas DiSparrow, Leila Wong, Hannah Flynn, Minhee Yeo, Bentley Kalu, Julia Krynke, Jason Her, Tim Powell, Michael Chapman, Monty Mclaren-Clark, Tino Chinyoka, Ingvild Deila, Emeson Nwolie, Sophie Gooding, Joseph M. Abbott, Bartosz Wandrykow, Ibrahim Fagge, Tatiana Zarubova, Eric Morcos, Georgie-May Tearle, Kornelia Horvath, Kai Kyriacou.

Gênero: Ação/Aventura/Ficção

Duração: 141 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

4 comentários

  1. […] “Guerra Civil”, o famoso embate ideológico e físico entre o Capitão-América e o Homem de Ferro já rendeu, e ainda renderá, muito para a Marvel. A edição em quadrinhos, escrita por Mark Millar e Steve McNiven em 2006 vendeu mais de 500.000 exemplares e representou uma mudança significativa no universo dos heróis da Casa das Ideias. Próximo ano a história deverá chegar às telas de cinema contando uma história bem diferente, mas que mantém o conflito entre dois dos principais membros dos Vingadores. […]

    Curtir

  2. […] De resto, o espectador mais sagaz já está vacinado contra esse tipo de joguinho. Os heróis se encontram, os heróis brigam entre si e os heróis eventualmente se unem depois para lutar juntos contra o inimigo que os manipulou. É um clichê besta dos quadrinhos que só dá certo como forma de fetiche do leitor. A fórmula funcionou perfeitamente bem em Os Vingadores, mas que já mostrou sinais de desgaste com o fraco A Era de Ultron. […]

    Curtir

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s