Sniper Americano | Crítica

sniperChris Kyle (Bradley Cooper) era um típico cidadão americano do Texas. Quando pequeno, aprendeu a atirar com o pai e sonhava em ser um caubói. Como não havia muito espaço para este sonho nos Estados Unidos, decidiu se alistar após “descobrir” em uma reportagem de TV que seu querido país estava sob ameaças externas, sentimento que só se agravou depois do 11 de setembro.

Não é difícil entender por que o público norte-americano lotou as salas de cinema que exibiam Sniper Americano, um filme feito por, sobre e voltado inteiramente para eles. Baseado em um livro escrito pelo próprio Kyle, atirador responsável por 160 mortes oficiais no Iraque, o filme mostra a visão de um soldado extremamente patriota sobre um conflito que, na vida real, vai muito além de um simples bem contra o mal.

Clint Eastwood, preso pela autobiografia original e por exigências da família para que Kyle fosse retratado com a dignidade que merece, dirige uma obra tradicional sobre um homem habilidoso que tenta sobreviver às dificuldades enfrentadas na Guerra do Iraque. Ao menos à primeira vista, as crenças do protagonista são confirmadas a cada passo do filme.

Praticamente todos os iraquianos, o que inclui uma série de mulheres e criancinhas, são mostrados como máquinas de matar cujo único objetivo é acabar com os americanos. Desta forma, o roteiro parece endossar o coro dos soldados, que se referem sempre aos habitantes do país como “selvagens”.
sniper2Ao mesmo tempo, os aspectos psicológicos da guerra sobre Kyle são atenuados. Embora em algumas cenas ele seja visto ouvindo ecos do campo de batalha ou com problemas para controlar a raiva em reuniões familiares, seus conflitos parecem ser rapidamente resolvidos depois que consegue “voltar a ajudar seus colegas de guerra”.

Ao mesmo tempo, o filme consegue estabelecer de forma sutil alguns aspectos questionáveis do caráter do protagonista. Por exemplo, apesar de terminar a história como um homem de família carinhoso, ele demonstra desde o início, quando tentava ser peão de rodeio, uma certa relutância em permanecer em casa ou estabelecer uma vida comum e tradicional.

Ao longo da narrativa, ele também é confrontado com pequenos acontecimentos que colocam em dúvida sua visão de mundo. Quando se justifica para a esposa (Sienna Miller) dizendo que vai à guerra para salvar sua vida, a declaração soa necessariamente hipócrita para ela e para o público. A aparição de seu irmão (Max Charles), psicologicamente destruído pela guerra, também causa um ligeiro abalo em sua percepção, embora suas convicções permaneçam intocadas. Até mesmo muitos de seus ataques no campo de batalha se devem mais a vingança pessoal que a um senso de patriotismo e defesa dos ideais americanos.

Há um momento em que uma mãe de luto revela a carta de um colega de Kyle morto em serviço (Luke Grimes). Suas palavras mostram que ele começava a questionar a moralidade da guerra. O protagonista, ele mesmo um grande crente na luta pela pátria, diz que o colega morreu pela falta de fé no que fazia.
sniper3Anos depois, Kyle foi morto por um ex-militar que ele tentava ajudar. Significa que a falta de lógica da guerra se reflete na vida? Qualquer que seja a resposta, Chris Kyle certamente não era a pessoa certa para dá-la. A marcha fúnebre dos créditos finais, pontuada por imagens da bandeira americana, deixa a sensação dúbia de homenagem a um ícone nacional, mas também da morte de uma ideologia que já não tem muita lógica no mundo de hoje.

Cotação-3-5Sniper Americano - poster nacionalSniper Americano (American Sniper)

Direção: Clint Eastwood

Roteiro: Jason Hall, baseado no livro de Chris Kyle, Scott McEwen e James Defelice

Elenco: Bradley Cooper, Sienna Miller, Kyle Gallner, Cole Konis, Ben Reed, Elise Robertson, Luke Sunshine, Troy Vincent, Brandon Salgado Telis, Keir O’Donnell, Marnette Patterson, Jason Hall, Billy Miller, Leonard Roberts, Jason Walsh, Reynaldo Gallegos, Kevin Lacz, Jake McDorman, Cory Hardrict, Eric Ladin, Brando Eaton, James Ryen, Luke Grimes, Jonathan Kowalsky, Shane Habberstad, Sammy Sheik, Kevin Ryan, Evan Gamble, Benjamin Mathes, Tim Griffin, Luis Jose Lopez, Brian Hallisay, Erik Aude, Jad Mihdi Senhaji, Navid Negahban, Fehd Benchemsi, Eric Close, Zack Duhame, Mido Hamada, Kathe Mazur, Sam Jaeger, Chance Kelly, Ryan Sadaghiani, Ayman Samman, Assaf Cohen, Fahim Fazli, Salah Salea, Hector Bucio, Aidan McGraw, Jonathan Groff, Melissa Hayden, Ferguson Reid, Mark Thomason, Pamela Denise Weaver, Amie Farrell, Quay Terry, James D. Dever, Tami Goveia, Leon Charles Farmer, Paul Meixner.

Gênero: Ação/Drama/Guerra

Duração: 132 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

2 comentários

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s