O Abutre | Crítica

K72A3451d.tifÉ difícil imaginar um filme em que o jornalismo seja retratado de forma tão maligna quanto em O Abutre. A Montanha dos Sete Abutres, de 1951, chega perto, mas seu protagonista ainda apresentava algumas possibilidades de redenção. Lou Bloom (Jake Gyllenhaal) não.

De certa forma, o protagonista de O Abutre personifica o tipo de jornalismo do qual o filme trata. Predatório, inconsequente, pouco preocupado com a realidade, manipulador, mentiroso. Não à toa, Gyllenhaal decidiu perder alguns quilos para dar ao personagem a aparência de um coiote. A experiência funcionou e, aliada à fantástica performance, talvez a melhor de sua carreira, conseguiu criar um ser verdadeiramente monstruoso.

Desde o início, sabemos que o maior diferencial de Bloom é o seu completo alheamento de qualquer tipo de regra ou moralidade. Quando vê pela primeira vez uma equipe de filmagem, capitaneada por Joe (Bill Paxton), aproveitando-se do sensacionalismo de um sangrento acidente de carro para o lucro próprio, ele descobre exatamente o que pretende fazer.

Embora a crítica à imprensa sensacionalista norte-americana seja bastante direta ao mostrar a batalha dos telejornais matinais pela exclusividade de cenas noturnas de embrulhar o estômago, é a descida cada vez mais acentuada de Bloom a uma condição de nojento parasitismo que carrega a narrativa.
o_abutre2Praticamente nenhum outro personagem, porém, é poupado. Nina (Rene Russo) é mostrada como uma oportunista produtora de telejornal, que se aproveita ao máximo das terríveis filmagens feitas por Bloom. O assistente Rick (Riz Ahmed) não tem limites morais tão flexíveis quanto seu chefe, mas faz de tudo por dinheiro. E Joe é uma versão apenas ligeiramente menos ruim do protagonista. O editor Frank (Kevin Rahm), além de uma agente policia honestal, é a única voz que se levanta a favor de um jornalismo realmente informativo, mas acaba sendo deixado de lado e é simplesmente esquecido em certo ponto.

Sem sombra de dúvida, a maior parte dos méritos do filme vem da direção do cineasta estreante Dan Gilroy, que até então tinha créditos apenas como roteirista em algumas superproduções. Parece que o lugar certo para ele é mesmo por detrás das câmeras.

Além da crescente tensão que consegue imprimir ao longo de todo o filme, culminando em um clímax de ação e perseguição de tirar o fôlego, ele ainda faz com que a narrativa apresente seus acontecimentos de forma mais e mais chocante, muitas vezes em cenas claustrofóbicas e silenciosas, outras em verdadeiras explosões raivosas de energia.

O abutre é uma criatura da escuridão e por isso a quase totalidade do longa é gravada à noite. As raras cenas diurnas se passam no interior de obscuros estabelecimentos ou dentro de casa, onde o protagonista, ironicamente, adquire mais conhecimentos sobre questões motivacionais e a realidade do mundo dos negócios.
o_abutre3Lou Bloom é, de certa maneira, uma contundente provocação ao que hoje são consideradas as regras do homem bem-sucedido no mercado de trabalho. Isso porque ele subverte vários desses ensinamentos, muitas vezes bastante hipócritas, para o benefício de sua própria visão deturpada do mundo, que o filme apresenta como assustadoramente verdadeira.

Nada disso, no entanto, teria funcionado tão bem não fosse a atuação espetacular de Gyllenhaal, que, para o papel, assumiu uma postura mecanicamente sem emoção, pontualmente intercalada por explosões de violência verbal, que é essencial para a transformação pela qual o filme passa à frente dos espectadores. Lentamente, o medo e nojo penetram a alma do público, que finalmente se dá conta de que O Abutre é, na verdade, não apenas um suspense, mas o grande filme de terror do ano.

Cotação-5-5O Abutre - poster nacionalO Abutre (The Nightcrawler)

Direção: Dan Gilroy

Roteiro: Dan Gilroy

Elenco: Jake Gyllenhaal, Michael Papajohn, Marco Rodríguez, Bill Paxton, James Huang, Kent Shocknek, Pat Harvey, Sharon Tay, Rick Garcia, Leah Fredkin, Bill Seward, Rick Chambers, Holly Hannula, Jonny Coyne, Nick Chacon, Kevin Dunigan, Eric Lange, Alex Ortiz Jr., Carolyn Gilroy, Kevin Rahm, Ann Cusack, Rene Russo, Kiff VandenHeuvel, Christina de Leon, Juan Fernandez, Riz Ahmed, Dig Wayne, Myra Turley, Merritt Bailey, Lisa Remillard, Jamie McShane, Manuel Lujan, Michael Hyatt, Christopher McShane, Price Carson, Bill Blair, Aaron Bledsoe, Greg Caldwell, Viviana Chavez, Tyler Cole, Emily Dahm, Chad Guerrero, Jason Heymann, David Dustin Kenyon, Anne McDaniels, Austin Raishbrook, Dale Shane, Damien Snow, Troy Williams, Adrian Winther, Kathleen York.

Gênero: Drama/Suspense

Duração: 117 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

2 comentários

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s