Os Mercenários 3 | Crítica

os_mercenarios3Os Mercenários 3 é menos um filme que uma estratégia de marketing mal arranjada. Uma que investe no poder da memória de seu público para atrai-lo ao cinema e, em seguida, entediá-lo por mais de duas horas com cenas de ação requentadas e uma trama chata e previsível. A ideia é que o elenco gigantesco, repleto de estrelas do passado, deveria, por si só, carregar o negócio todo. Bem, desnecessário dizer por que a ideia não é boa.

De certa maneira, o filme é quase um remake de Os Mercenários 2, inclusive com uma narrativa praticamente idêntica àquela. Um cara mau coloca em risco a vida de um dos mercenários comandados por Sylvester Stallone. Esse cara é realmente mau, então Sly volta para capturá-lo ou possivelmente matá-lo como vingança. Mas aí uma série de coisas acontecem pelo caminho (o que dá oportunidade para que você reveja toda a fauna de atores de ação dos anos 80) até que Sylvester Stallone luta corpo a corpo contra o cara mau (Mel Gibson)… e o resto é história.

O problema disso é que nada no filme sequer tenta ter uma parcela que seja da originalidade das produções dos anos 80 que todos esses astros estrelaram. O roteiro até tenta inserir uma mulher (a lutadora de UFC Ronda Rousey) entre os machos movidos a testosterona, mas não faz nada para se aproveitar da oportunidade, enchendo a moça de clichês e fazendo com que sua frase marcante seja “Homens!”, dita sempre quando pretende se referir à clássica imaturidade do sexo oposto. Imagino que só tenhamos visto isso umas trocentas vezes em milhares de outros lugares.

BRAY_20130830_EXP3_5633.dngAlém disso, nós não conhecemos essas pessoas. As únicas coisas que vemos delas são suas frases de efeito durante as lutas e piadinhas que, diga-se, raramente funcionam. Elas não têm famílias, vidas ou personalidade. São invulneráveis, habilidosas demais e nunca sequer começam a apanhar.

Não existe a mínima preocupação pela vitória do protagonista por parte do espectador porque esta já fica estabelecida antes mesmo de o filme começar a rodar. Talvez Stallone, um dos principais responsáveis pela trama, devesse rever Rocky e assistir aos primeiros filmes da franquia Duro de Matar para aprender algumas lições sobre a importância da vulnerabilidade do herói para garantir a simpatia do público.

É meio difícil entender o motivo da longevidade desta desajeitada franquia. Nenhum dos três filmes até o momento apresentou muito em termos de qualidade. A bilheteria também foi regular, tendo conseguido no máximo se pagar e garantir um lucro modesto nos dois filmes anteriores. Neste último, os prognósticos são mais pessimistas. Mercenários 3 corre o sério risco de se tornar um flop estrondoso.

os_mercenarios3_3A pergunta que fica é: alguém realmente quer ver isso? Não me refiro à reunião de todos esses astros queridos e carismáticos (que desta vez contou ainda com o reforço de Wesley Snipes, Harrison Ford e Antonio Banderas), que parecem sempre se divertir em tela. Falo do fato de enfiar todos eles em algo tão inexpressivo quanto este terceiro filme. Qual o objetivo? Será que existe algum?

E é até difícil entender até que ponto Stallone e sua turma de marombados da terceira idade compreendem o parco legado que deixaram com esses três filmes. Acho difícil pensar que alguém se lembrará da franquia com carinho ou sequer se lembrará dela de qualquer forma que seja. Mas, a julgar pela última cena deste terceiro filme, na qual uma trilha sonora emocionante acompanha a passada de bastão para a turma mais nova de “heróis de ação”, os envolvidos no filme parecem acreditar que fizeram algo espetacular no nível da trilogia Toy Story.

A cena é meio triste e meio deprimente, mas pelos motivos errados. Só sentimos mesmo uma certa dó de ver toda aquela gente envolvida em um projeto tão equivocado e mequetrefe. Ainda mais quando nos lembramos de todas as coisas legais que essa turma já fez em décadas passadas.

Cotação-2-5Os Mercenários 3 - poster nacionalOs Mercenários 3 (The Expendables 3)

Direção: Patrick Hughes

Roteiro: Sylvester Stallone, Creighton Rothenberger e Katrin Benedikt, baseado em história de Sylvester Stallone e nos personagens criados por Dave Callaham

Elenco: Sylvester Stallone, Jason Statham, Harrison Ford, Arnold Schwarzenegger, Mel Gibson, Wesley Snipes, Dolph Lundgren, Randy Couture, Terry Crews, Kelsey Grammer, Glen Powell, Antonio Banderas, Victor Ortiz, Ronda Rousey, Kellan Lutz, Jet Li, Ivan Kostadinov, Robert Davi, Nikolay Stoyanov Ilchev, Daniel Angelov, Slavi Slavov, Dimiter Doichinov, Nikolay Stanoev, Harry Anichkin, Boswell Maloka, Natalie Burn, Velizar Binev, Sarai Givaty, Liubomir Simeonov, Frank Pesce, Thomas Canestraro, Asim A. Ahmad, Lilia Doytchinova, Lisbeth Olofsson, Anton Poriazov, Cyndy Powell, Bashar Rahal, Tzvetislav Samardjiev.

Gênero: Ação/Aventura

Duração: 126 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Um comentário

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s