O Espelho | Crítica

o_espelhoToda vez que vejo que um novo filme de terror está prestes a entrar em cartaz, começo a me preparar para uma rotina desagradável. Ela envolve uma casa mal assombrada, uma porção de pequenos sustos desnecessários, que tentam aumentar seu impacto com efeitos sonoros manjados, assim como um monte de lugares comuns do gênero, uma família que tenta compreender o que está lhe acontecendo, talvez um poltergeist na forma de uma velha apodrecida, entre outras coisas. Por sorte ou competência dos envolvidos, O Espelho tem apenas duas dessas coisas e nenhuma delas compromete a proposta dos envolvidos.

O diretor Mike Flanagan decidiu expandir um bem sucedido curta-metragem de sua autoria para fazê-lo caber em cerca de 100 minutos. A história mostra o reencontro dos irmãos Kaylie (Karen Gillan/ Annalise Basso na versão jovem) e Tim Russell (Brenton Thwaites/ Garrett Ryan na versão jovem) onze anos após os eventos traumatizantes que se abateram sobre sua família e causaram a morte de seus pais.

Tim acaba de sair de uma clínica psiquiátrica onde esteve confinado por todo esse tempo, procurando reprimir e compreender as imagens macabras que guarda desse período da sua infância. Porém, descobre que a irmã esteve armando um plano para destruir aquele que acredita ser o verdadeiro responsável pela morte dos pais: um espelho de origem medieval que ficava no escritório do pai deles.

o_espelho2O filme ainda faz um pequeno suspense sobre a veracidade do que Kaylie diz. A edição intercala entre acontecimentos antigos e atuais, então só descobrimos o que realmente aconteceu no passado da família perto do final do longa. Portanto, por algum tempo temos a interessante possibilidade de que tudo aquilo não passe de invenção da cabeça das crianças para explicar a loucura que acometeu os pais.

A metáfora aplicada no caso do espelho é também muito mais sofisticada do que o que geralmente encontramos no gênero. Ele é uma representação quase perfeita do distanciamento causador da loucura dentro de uma relação.

O espelho que some com o cachorro, fator agregador da família. O espelho que conjura uma bela mulher para papai, que mamãe acredita erroneamente ser uma amante. O espelho que obriga o pai a se trancar por horas a fio no escritório trabalhando, deixando a esposa e os filhos de lado. O espelho que lembra a mãe dos horrores da maternidade, despertando uma doentia depressão pós-parto mesmo com os filhos já crescidos.

o_espelho3Sem contar isso tudo, o espelho também seca plantas, causa alucinações e faz com que as pessoas ajam exatamente da forma que ele quer. Naquela que é provavelmente a cena mais aflitiva do filme, Kaylie dá uma bela mastigada em uma lâmpada acreditando estar comendo uma maçã. Em outra, acredita que o namorado morto à sua frente não passa de uma alucinação, mas mesmo isso nunca fica claro para o espectador.

Observando pela perspectiva da onipotência do espelho, os dois jovens nunca tiveram uma chance verdadeira de enfrentá-lo. Ele poderia manipular absolutamente tudo, não importa quão inteligente seja o plano.

Apesar de toda essa sensação de inevitabilidade, é uma pena que o desfecho seja tão previsível. Quando a loucura corre pela veia de uma família, é melhor não desafiá-la. Kaylie e Tim chegaram a essa conclusão da pior forma.

o_espelho4

Para os espectadores, o ideal talvez fosse conhecer e se importar um pouco mais com esse personagens, mas não há como negar que a construção do suspense e das situações aterrorizantes desse filme é quase impecável. Superior à grande maioria dos verdadeiros caça-níqueis de terror lançados semana após semana em circuito comercial.

Cotação-3-5O Espelho - poster nacionalO Espelho (Oculus)

Direção: Mike Flanagan

Roteiro: Mike Flanagan e Jeff Howard, baseado no curta escrito por Mike Flanagan e Jeff Seidman

Elenco: Karen Gillan, Brenton Thwaites, Katee Sackhoff, Rory Cochrane, Annalise Basso, Garrett Ryan, James Lafferty, Miguel Sandoval, Kate Siegel, Scott Graham, Michael J. Fourticq, Katie Parker, Justin Gordon, Bob Gebert, Brett Luciana Murray, Zak Jeffries, Courtney Bell, Elisa Victoria, Dave Levine, Stephanie Minter, Lesa Johnson, Allison Boyd, James Flanagan, Alexandra Beer, Marc Evans, Toni White, Ashley Bonds, Bennett Wayne Dean Sr., Doris Dean, Amanda Spears.

Gênero: Terror

Duração: 104 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s