A Culpa é das Estrelas | Crítica

????????????????????Fenômenos literários são quase sempre inexplicáveis. Há cerca de um ano, era praticamente impossível adentrar um ônibus ou um vagão de metrô em cidades grandes sem encontrar alguém com um livro da série 50 Tons de Cinza aberto nas mãos. O que surpreende ainda mais é quão rápido a maioria dessas modas desaparece e fica esquecida em um passado sombrio (no caso citado, foi por um bem maior).

O autor norte-americano John Green entrou de cabeça nessa realidade e hoje suas obras estão entre as mais vendidas no mundo inteiro. A Culpa é das Estrelas, especificamente, foi responsável pelo choro de muitos adolescentes e adultos por aí. Obviamente, não demoraria a ser adaptado das páginas para a telona.

O filme conta a história da jovem Hazel Grace (Shailene Woodley), que sofre de câncer e vive quase totalmente afastada de qualquer convívio social, à espera da morte iminente. Durante uma sessão de terapia de grupo, ela conhece aquele que será o grande amor de sua curta vida: Augustus Waters (Ansel Elgort), jovem que teve sua perna amputada devido à doença.

Woodley e Elgort têm uma química natural, o que torna essa paixão desesperada tão crível quanto depressiva. O roteiro acerta ao fazer da garota uma pessoa independente e de fortes opiniões, que não é ofuscada nem se deixa levar por sentimentos banais e jamais se anula junto a seu pretendente. Além disso, sua maior preocupação com a saúde é minimizar o impacto da própria morte para outras pessoas.

????????????????????Por isso fica extremamente relutante em assumir um compromisso sério com Augustus. E por isso faz de tudo para que os pais se acostumem com a ideia de não tê-la mais por perto. Próximo do final, há um momento extremamente tocante em que Hazel finalmente descobre que os pais se adaptaram a essa realidade e que não deixarão de viver depois que ela se for.

Na verdade, é possível dizer que as maiores virtudes de A Culpa é das Estrelas estão nesses pequenos momentos. São eles que passam a noção de pessoas reais e complexas na tela, fazendo com que o público se identifique e sofra por elas. E acabam por suavizar os traços claramente manipuladores da narrativa, daqueles que forçam situações para tirar lágrimas de adolescentes histéricas a qualquer custo.

As filosofias de vida dos personagens principais, fortemente baseadas em caracteres da cultura pop, servem para adentrar seu mundo introspectivo. Entretanto, a repetição de fórmulas e preceitos exageradamente bonitinhos, fofos o suficiente para serem replicados para sempre em perfis de redes sociais, cansa a partir de um certo tempo.

Augustus, principalmente, se preocupa demais em compartilhar suas ideias e seus medos sobre o esquecimento e não permite que uma personalidade mais verdadeira apareça para o público. Curiosamente, ele só parece se abrir totalmente durante suas cenas de maior fragilidade.

????????????????????

Entretanto, talvez o maior tropeço do filme esteja na pessoa do escritor Peter van Houten (Willem Dafoe), autor do romance favorito de Hazel. O personagem é construído de maneira incrivelmente maniqueísta, passando de um verdadeiro santo, em sua imagem idealizada, para um ser pedante, asqueroso e mau. Além disso, sua trajetória é desenvolvida de forma esquisita, culminando em uma cena bastante improvável e deslocada.

Apesar dos pesares, o saldo do filme é positivo e está muito acima da média dos romances adolescentes que chegam aos cinemas. Pode-se dizer que há uma pitada indie muito bem-vinda adicionada ao melodrama e que faz desta uma mistura incomum, mesmo que o caldo azede de vez em quando.

Cotação-3-5A Culpa é das Estrelas - poster nacionalA Culpa é das Estrelas

Direção: Josh Boone

Roteiro: Scott Neustadter e Michael H. Weber, baseado no livro de John Green

Elenco: Shailene Woodley, Ansel Elgort, Nat Wolff, Laura Dern, Sam Trammell, Willem Dafoe, Lotte Verbeek, Ana Dela Cruz, Randy Kovitz, Toni Saldana, David Whalen, Milica Govich, Allegra Carpenter, Emily Peachey, Emily Bach, Tim Hartman, Mike Birbiglia, Bethany Leo, Alexis Hodges, Jean Brassard, Carly Otte, Lily Kenna, Silvio Wolf Busch, Viviana Cardenas, Jordan Drexel, Pj Rossotto, Tanner Boatwright, Cheyenne Hurley, Jennifer Kline, Carole Weyers, Elyse Alberts, Nicholas Augusta, Nicholas Balzer, Camera Chatham Bartolotta, Tyler Craig, Giordan Dixon, Mark Falvo, Eric Filo, Joe Fishel, Richard C. Fishel, Mark Gazica, Richard Guesman, Sophie Guest, Debbie Hartner, Chris Jameson, Christopher Kaczmarek, William Kania, Sharyn Kmieciak, Scott Lockhart, Johanna McGinley.

Gênero: Drama/Romance

Duração: 125 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

4 comentários

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s