Namoro ou Liberdade? | Crítica

namoro_ou_liberdadeEm determinado momento de Namoro ou Liberdade, os personagens de Zac Efron e Imogen Poots têm uma descontraída conversa na cama após uma noitada de sexo. Ela se diz arrependida: “Eu ia fazer você esperar quarenta dias por isso.” Ele responde: “Eu também, mas aí eu me lembrei que sou o homem.” Então, os dois dão muita risada.

A óbvia conotação da conversa é o machismo que está implícito na maior parte dos relacionamentos entre homens e mulheres na nossa sociedade. Uma mulher que decide fazer sexo com um homem logo de cara é considerada fácil ou oferecida. Para o homem, o pecado é o inverso, ou seja, não levar logo para a cama seu interesse amoroso.

Portanto, a sequência (apesar de obviamente grosseira) não é necessariamente ruim, pois serve para refletir um pensamento bastante real entre nós. Ruim mesmo seria se o filme endossasse esse tipo de pensamento, sem nenhuma reflexão mais profunda. Pois é.

Jason, o personagem de Efron na trama, é o típico garanhão. Dorme com uma mulher diferente toda noite e pula fora dos relacionamentos ao menor sinal de compromisso. Ele é escroto, grosseiro e absurdamente egoísta em tudo o que faz. Para ser bem sincero, não é exatamente o cara ideal para se ter por perto.

namoro_ou_liberdade2O problema é que o filme parece achar que é sim. E tenta transformar algumas de suas ações mais nojentas em um charme a mais, que deveria conquistar as garotas. Por exemplo, a sequência em que o jovem aparece na festa de sua namorada com um pênis de plástico colado para fora de sua calça, fantasia que remete inclusive à mentalidade infantil do personagem sobre a vida.

Estranhamente, seu desprendimento acaba conquistando a todos, que passam a considerá-lo um bom partido. Chega ao cúmulo de o garoto fazer piadas sobre o tamanho de seu pênis para o pai da moça e o próprio responder à filha: “Adorei esse cara!” Nesse caso, quem somos nós para julgar, não é?

Ao mesmo tempo, o fato de uma mulher ter muitos preservativos em casa automaticamente para Jason quer dizer que ela é uma prostituta. Aliás, o filme não esconde nem um pouco sua tentativa de dizer que mulheres “boas para casar” são aquelas mais castas e puras, que não ficam rodando por aí. A única personagem feminina que escapa desse comportamento é Vera (Jessica Lucas), esposa de Mikey (Michael B. Jordan), classificada desde o início do longa como infiel e mentirosa por ter traído o marido.

O filme trouxe à minha mente frases ditas por Seligman à personagem de Charlotte Gainsbourg no final da segunda parte de Ninfomaníaca: “Você acha que se dois homens entrassem em um trem à procura de mulheres, alguém levantaria uma sobrancelha? Ou se um homem tivesse tido a vida que você teve?”

AWOD_DAY_24_0605.NEF Diferente do drama pesado usado para contar a história da mulher que todo dia buscava novos parceiros sexuais, aqui temos uma comédia romântica para falar sobre um homem que faz, em termos gerais, a mesma coisa. O estranho é o quanto o filme valida essa discrepância machista por meio dos diálogos constantemente pavorosos de seus protagonistas.

Ao final, é hora de ir para os braços de suas fiéis e castas companheiras, que os esperam e perdoam independentemente de qualquer coisa. Nesse mundo, o fato de o cara não ter dado nenhuma ajuda emocional à namorada quando o pai dela morreu e ter faltado ao enterro por medo de assumir o relacionamento não é um problema tão grave. Um discurso bonito sobre o quanto ele a ama e está arrependido sempre resolve tudo.

Afinal, não há dúvidas de por que tantos homens adoram acreditar que vivem nesse mundo.

Cotação-1-5Namoro ou Liberdade - poster nacionalNamoro ou Liberdade? (That Awkward Moment)

Direção: Tom Gormican

Roteiro: Tom Gormican

Elenco: Zac Efron, Miles Teller, Michael B. Jordan, Imogen Poots, Mackenzie Davis, Jessica Lucas, Addison Timlin, Josh Pais, Evelina Turen, Karen Ludwig, Tina Benko, Joseph Adams, Lola Glaudini, John Rothman, Barbara Garrick, Raul Casso, Kate Simses, Tom Gormican, Emily Meade, Alysia Reiner, Yuval Boim, Dan Bittner, Reif Larsen, Chris Grace, Victor Slezak, Justin Nappi, Tom Riis Farrell, Julia Morrison, Amanda A. Lederer, Melissa Mikel, Andrew Alberson, James P. Anderson, Alix Cross, Takako Haywood, Rachel Heller, Christine Kadets, Eugenia Kuzmina, Alice Litvak, Melissa Marino, Gregg Micheals, Demetrice Nguyen, Andrew Pagliara, Naeem Uzimann.

Gênero: Comédia/Romance

Duração: 94 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Um comentário

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s