Alemão | Crítica

Alemao 5

O cinema nacional é constantemente “acusado” de não ser um cinema de gêneros. Ok, podemos até ter escassos exemplares de ficção científica (apenas O Homem do Futuro me vem a mente) ou terror (como o recente Quando Eu Era Vivo), além das inúmeras comédias que infestam as salas de exibição, mas é inegável que criamos um gênero próprio, o chamado “favela movie“, que pode soar como uma forma pejorativa ou politicamente incorreta de nomear este tipo de filme, mas é o que tem pra hoje.

Sobre este gênero tão peculiar, temos os bem sucedidos Cidade de Deus, que rendeu quatro indicações ao Oscar dez anos atrás, e os campeões de bilheteria Tropa de Elite 1 e 2, os grandes blockbusters brasileiros. Estes filmes em particular fizeram seus diretores, Fernando Meirelles e José Padilha, respectivamente, ganharem visibilidade internacional, e hoje podem filmar em qualquer lugar do mundo. E qual diretor não quer ter o gostinho de trabalhar em Hollywood?

Alemao 2

Não sei se esta é a intenção do diretor José Eduardo Belmonte com seu Alemão, já que costuma mudar de gênero (olha aí) a cada nova produção (o último filme do diretor foi a comédia Billi Pig). Porém, sua tentativa de um drama-de ação-policial-com viés social-na favela, não chega aos pés do impacto de seus semelhantes do gênero. Falta profundidade no drama e no discurso social, e falta ação, além de ser difícil comprar a ideia de Cauã Reymond como chefe do tráfico (por mais que ele se esforce) e Gabriel Braga Nunes como policial (este não se esforça nunca, é ator de uma nota só), o restante do elenco está ok, Antônio Fagundes tem seus momentos meio Robert de Niro, apesar de carregar a mão nos momentos mais dramáticos e Caio Blat está competente como sempre. Mas tudo isso acaba transformando o filme em algo insosso e cansativo.

O grande problema de Alemão é a má condução de uma ideia que justamente o diferencia dos filmes do gênero. O longa passa quase que inteiramente em espaços fechados. Existem ali três núcleos: o dos traficantes, o dos policiais infiltrados e o da delegacia. Os traficantes, comandados por Playboy (Reymond), o líder do Morro do Alemão, se passa quase que inteiramente na laje de sua “mansão” no Morro, os policiais infiltrados e descobertos ficam presos no porão de uma pizzaria que um dos policiais, vivido por Otávio Müller, usava como fachada, e o núcleo comandado pelo delegado  de Fagundes passa a maior parte do tempo na delegacia.

Alemao 4

Até aí, nenhum problema, já que conflitos em espaços fechados geralmente oferecem grandes momentos para bons diálogos, mas a chance foi desperdiçada em desenvolver ali uma discussão mais profunda sobre o papel da polícia, como ela age e a quem obedece (a missão era clandestina). Mas o roteiro resolveu passar por cima de tudo isso e pintar os policiais e os traficantes em branco e preto, mocinhos e bandidos, sem muitas nuances.

Num país onde vemos com cada vez mais clareza e horror o quanto a polícia militar ainda vive sob o mesmo regime sob a qual foi criada, a ditadura militar, agindo com truculência e falta de discernimento, onde  negro e pobre é tratado como bandido até que se prove o contrário, onde trabalhadores são mortos e tratados como lixo ou têm “o azar” de serem presos por engano, e a criminalidade parece só aumentar, o papel dessa polícia “pacificadora” parece cada vez mais nebuloso, e num filme que tem a pretensão de retratar fatos, Alemão deixa muito a desejar, já que não há análise sobre eles.

Cotação-2-5

Alemão (Alemão)

Alemão - poster

Direção: José Eduardo Belmonte

Roteiro: Leonardo Levis e Gabriel Martins

Elenco: Antônio Fagundes, Cauã Reymond, Caio Blat, Gabriel Braga Nunes, Marcello Melo Jr., Milhem Cortaz, Otávio Muller, Mariana Nunes, Jefferson Brasil, Marco Sorriso, Aisha Jambo, Micael Borges, MC Smith, Izak Dahora, Alcemar Vieira, Andrea Cavalcanti, Francisco Gil, Marcos “Kikito” Junqueira

Gênero: Ação/Drama/Policial

Duração: 109 minutos

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s