Clube de Compras Dallas | Crítica

clube_de_compras_dallasClube de Compras Dallas conta a história do eletricista e caubói texano Ron Woodroof (Matthew McConaughey), que em plena década de 80 descobre que tem apenas 30 dias de vida após ser diagnosticado com o vírus HIV. Inconformado com a previsão, Ron corre atrás de medicamentos alternativos para a doença, todos eles ilegais em território norte-americano.

Em meio a tudo isso, ele descobre uma oportunidade financeira única e se alia à travesti Rayon (Jared Leto, vencedor antecipado do Oscar de melhor ator coadjuvante) para levar o negócio à frente. Contudo, precisa  enfrentar sua própria aversão a homossexuais se pretender prosperar no novo negócio.

Ao assistir ao filme, naturalmente me lembrei de Como Sobreviver a Uma Praga, documentário de 2012 não lançado no Brasil. Foi ele que pela primeira vez escancarou para mim toda a questão de cidadãos americanos com AIDS em luta por maiores investimentos e urgência na busca por uma cura.

clube_de_compras_dallas2O período parece distante, já que hoje um coquetel de medicamentos é capaz de praticamente imobilizar os sintomas causados pelo vírus, mas também é considerado um marco na luta pelos direitos dos gays. O que mais irrita em todo o processo, na realidade, é o descaso das companhias farmacêuticas e a tentativa de conseguir grandes lucros em cima das milhares de mortes causadas pela doença.

O maior trunfo do filme é a trajetória de mudança construída para o personagem de  Woodroof, que de um caipira ignorante e preconceituoso com o passar do tempo se transforma em um homem amável e defensor dos direitos dos homossexuais.  Essa mudança nunca soa repentina graças ao trabalho sutil de McConaughey (que este ano também tem grandes chances de levar uma estatueta para casa), em mais uma ótima interpretação, e ao trabalho do roteiro, que constrói uma história sólida e crível para o personagem.

O mesmo não pode ser dito da travesti Rayon. A personagem ganha muito pouco para fazer em cena além de atuar como um contraponto para Woodroof a todo momento. Essa falta de desenvolvimento só serve para destacar ainda mais o show de Leto no corpo da personagem, transmitindo tamanha feminilidade e emoção que Rayon acaba ganhando o coração do público apesar dos problemas narrativos.

clube_de_compras_dallas3Contar a história a partir do ponto de vista de um heterossexual que contraiu o vírus HIV é um recurso interessante para mostrar melhor o preconceito que estava atrelado à doença. Recurso esse que o filme mostra intenção de explorar até o fundo, colocando a ênfase desse comportamento questionável e preconceituoso primeiro no próprio Woodrof e depois em seus amigos, que assumem que o próprio teve relações homossexuais, já que havia contraído a doença. Porém, o assunto é deixado de lado de maneira abrupta, culminando em uma cena no supermercado que de forma alguma encerra satisfatoriamente a questão.

Apesar de seu tema forte e de o diretor Jean-Marc Vallée conseguir imprimir um bom ritmo ao filme, Clube de Compras Dallas é burocrático e explicativo demais para ser memorável. Dá até para sentir quando o filme força a barra para passar sua mensagem da forma mais didática possível, geralmente deixando de lado a parte dramática e emocional da história.

Não é nada difícil admirar a luta de Woodroof e de todas essas pessoas simplesmente por um pouco mais de vida. Porém, acaba sendo difícil mesmo se conectar com eles, até mesmo porque não sabemos nada sobre o passado e os detalhes pessoais de qualquer um desses personagens.

Cotação-3-5Clube de Compras Dallas - poster nacionalClube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)

Direção: Jean-Marc Vallée

Roteiro: Craig Borten e Melisa Wallack

Elenco: Matthew McConaughey, Jennifer Garner, Jared Leto, Denis O’Hare, Steve Zahn, Michael O’Neill, Dallas Roberts, Griffin Dunne, Kevin Rankin, Donna Duplantier, Deneen Tyler, J.D. Evermore, Ian Casselberry, Noelle Wilcox, Bradford Cox, Rick Espaillat, Lawrence Turner, Lucius Falick, James DuMont, Jane McNeill, Don Brady, Matthew Thompson, Tony Bentley, Sean Boyd, Rachel Wulff, Neeona Neal, Scott Takeda, John Tabler, Joji Yoshida, Carl Palmer, Martin Covert, Douglas M. Griffin, David Lichtenstein, Craig Borten, Henry Frost, Arthur Smith, Joseph Blackstone, Heather Ashley Boyd, Kenneth Kynt Bryan, Edward J. Clare.

Gênero: Drama

Duração: 117 minutos

Curta a fanpage do Cinelogin no Facebook!

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s