Blue Jasmine – Crítica

Obs: Crítica escrita em parceria com Thaís Affonso.

.

.

blue-jasmine-006

Ao assistir Blue Jasmine, novo longa de Woody Allen, imediatamente me veio à mente o clássico do rock “Like a Rolling Stone”. A protagonista do filme do aclamado diretor se encaixa perfeitamente nos versos de Bob Dylan. Retratando a saga de Jasmine (Cate Blanchett), socialite decadente que se vê obrigada a abandonar sua vida de glamour em Nova Iorque para morar num pequeno apartamento com a irmã e seus dois sobrinhos em São Francisco, este se revela mais um excelente trabalho na prolífica carreira de Woody.

Inspirando-se na personagem Blanche DuBois da peça de Tennessee Williams A Streetcar named Desire (adaptada para o cinema em 1951), Allen retorna ao drama utilizando novamente uma protagonista feminina, característica que lhe é peculiar, como visto em Interiores, A Outra, A Rosa Púrpura do Cairo e Melinda e Melinda. Adotando uma estrutura de flashbacks através de surtos nervosos da personagem, a direção faz o espectador compartilhar da sua desorientação e neurose, colocando-o imediatamente em posição de empatia com ela.

blue-jasmine-004

Diferente do que se espera de Allen, as cidades retratadas aqui não tem uma participação tão ativa a ponto de serem verdadeiros personagens, mas funcionam como um retrato do contraste entre os padrões de vida experimentados pela protagonista. A multidão caótica da Chinatown de SF contrapõe o requinte das ruas e grifes de Upper East Side, NY bem como o humilde apartamento de Ginger (Sally Hawkins) contrasta com as exuberantes festas nos ricos salões da antiga moradia de Jasmine. Também ao contrário do esperado, esta não se revela exatamente uma persona “alleniana”, mostrando os típicos traquejos apenas pontualmente nos já citados surtos nervosos.

Focando sua lente em closes fechados nos rostos dos atores, o diretor explora até a última gota suas expressões, pautando o longa no talento das atuações. E como se mostra acertada a escalação do elenco! Certamente um dos pontos fortes do filme, que caso não fosse bem sucedida poderia fazê-lo facilmente se tornar um dramalhão novelesco. Retratando com carisma a humilde Ginger, Sally Hawkins surge sempre com um olhar e sorriso ingênuo típico de quem é facilmente manipulável, ao passo que Bobby Cannavale não deixa seu Chili cair na caricatura do pobre burro, conquistando a simpatia do público no decorrer da história. E se Peter Sarsgaard surge charmoso o bastante para representar a última chance desesperada da ex-rica dar a volta por cima, Alec Baldwin convence como o magnata pilantra Hal que trai sua esposa. Por fim, Andrew Dice Clay compõe Augie com a amargura de quem confiou nas pessoas erradas na vida, ao passo que Louis C K surge numa divertida participação.

blue-jasmine-005

Mas não há como negar que o filme pertença mesmo à talentosíssima Cate Blanchett. Dominando a tela desde o primeiro instante, a atriz retrata Jasmine com uma elegância e esnobismo natos que facilmente nos convence de seu poder de atração. Não fazendo questão de esconder seu desprezo pela vida simples da irmã, a “ex socialite” faz insistentes críticas às escolhas daquela, principalmente no que diz respeito ao seu namorado pobre e grosseirão. Competente também em escancarar a futilidade e a hipocrisia da personagem, Blanchett encarna uma protagonista vulnerável e mesmo digna de pena, principalmente nos momentos de crise, onde os olhares perdidos e a verborragia ininterrupta se fazem presentes em sua composição.

Terminando propositalmente em aberto, Blue Jasmine inteligentemente deixa seu espectador se perguntando o que será da vida daquela mulher. Mais uma tacada de mestre do grande Woody Allen, que assim encerra outra obra prima. E se na trilha sonora o que se ouve são os acordes de “Blue Moon”, na minha mente eu só consigo escutar os versos ácidos de outro gênio.

 

“How does it feel 
How does it feel 
To be without a home 
Like a complete unknown 
Like a rolling stone?”

blue-jasmine-007

 Cotação-5-5

 

 

Blue-Jasmine-204x300Blue Jasmine (Blue Jasmine)

 

Direção: Woody Allen

Roteiro: Woody Allen

Elenco: Cate Blanchett, Joy Carlin, Richard Conti, Glen Caspillo, Alec Baldwin, Charlie Tahan, Annie McNamara, Sally Hawkins, Daniel Jenks, Max Rutherford, Andrew Dice Clay, Tammy Blanchard, Kathy Tong, Ted Neustadt, Andrew Long, Lauren Allan, John Harrington Bland, Leslie Lyles, Glenn Fleshler, Brynn Thayer, Christopher Rubin, Emily Bergl, Barbara Garrick, Bobby Cannavale, Max Casella, Ali Fedotowsky, Michael Stuhlbarg, Dean Farwood, Alden Ehrenreich, Conor Kellicut, Colin Thomson, Val Diamond, Joe Bellan, Catherine MacNeal, Irit Levi, Diane Amos, Shannon Finn, Tom Kemp, Emily Hsu, Maurice Sonnenberg, Louis C.K., Peter Sarsgaard, Martin Cantu, Daniel Hepner, Al Palagonia.

Gênero: Comédia/Drama

Duração: 98 minutos

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s