10 Filmes para assistir na Páscoa

Páscoa é sempre igual. Você acorda no feriado todo feliz porque… bem, porque é feriado. Liga a TV e lembra que as emissoras tiveram que desencavar do fundo do arquivo alguns filmes bíblicos, desenhos sobre a vida de Jesus (ou, sabe-se lá por que, O Príncipe do Egito), documentários sobre o cristianismo, etc.

Para não ficar atrás nesta data, vamos sugerir alguns filmes, que ao longo da história mostraram a vida de Jesus sob ângulos inusitados. Alguns deles são bem difíceis de encontrar na programação do feriado.

Ben-Hur (William Wyler, 1959)

Ben-Hur-poster-211x300Começamos por um grande clássico, que é também um dos filmes mais premiados da história do Oscar. Baseado na obra do escritor Lew Wallace, o filme conta a história de Judah Ben-Hur, vivido por Charlton Heston, um príncipe que defende a liberdade do povo judeu contra a tirania romana. Ele acaba sendo traído por seu melhor amigo, que o transforma em um escravo de Roma. Embora não seja propriamente sobre Jesus, a história de Ben-Hur se une à dele quando Cristo o ajuda em seus momentos de maior dificuldade, culminando em um ato de cura durante sua crucificação. Assim, o gigantesco épico acaba representando de forma bastante simples a bondade e os poderes de Jesus por meio de outra história completamente fictícia.

 

 

 

A Paixão de Cristo (Mel Gibson, 2004)

A-Paixão-de-Cristo-poster-211x300Bastante polêmico na época de seu lançamento, neste violento filme, Mel Gibson optou por mostrar os últimos momentos da vida de Jesus. Assim, como se tornou comum na filmografia do diretor, as cenas são difíceis de assistir, regadas a muito sangue, torturas inimagináveis, além de requintes de crueldade e sadismo. O diferente aqui é que os ensinamentos de Jesus são deixados em segundo plano para retratar de forma estilizada seus sofrimentos. É ainda mais difícil de ver quando percebemos quem foi a pessoa que teve de passar por tudo isso.

 

 

 

 

A Vida de Brian (Terry Jones, 1974)

A-Vida-de-Brian-poster1-211x300Brian nasceu em um estábulo próximo ao qual estava Jesus e acabou recebendo, por engano, a visita dos Três Reis Magos. A engraçadíssima sátira criada por Monty Python faz com que o pobre Brian sofra muitos dos martírios de Jesus sem ser ele, fazendo “milagres” sem querer, se opondo aos romanos em uma espécie de guerrilha rebelde e até conseguindo seu próprio séquito de fiéis seguidores. O filme consegue ser extremamente divertido e, por incrível que pareça, não é ofensivo. Brian assobiando Always Look On The Bright Side of Life na cruz é certamente um dos momentos mais inspirados do grupo.

 

 

 

O Evangelho Segundo São Mateus (Pier Paolo Pasolini, 1964)

O-Evangelho-Segundo-São-Mateus-poster-211x300O filme do polêmico diretor italiano Pier Paolo Pasolini mostra Jesus de uma forma muito mais humana e realista, partindo de momentos retratados no Evangelho de Mateus. Aqui você não encontra o Cristo calmo e seguro que estamos acostumados a ver, mas um personagem humano, que lidera o povo e vai contra o Império Romano. Pasolini gosta de reforçar os silêncios e cenas mais poéticas em sua obra, o que pode deixar o filme um pouco tedioso, mas com certeza muito mais belo.

 

 

 

 

Jesus Cristo Caçador de Vampiros (Lee Demarbre, 2001)

Jesus-Cristo-Caçador-de-Vampiros-poster-211x300Este pouco conhecido filme, que já se tornou cult, transforma Jesus em uma espécie de paladino da justiça, que usa técnicas de kung fu para vencer seus oponentes. Na história, ele é chamado de volta à Terra pela Igreja, porque vampiros estão dizimando a população de lésbicas. Para quem reclamou de Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros, esta é provavelmente uma versão mil vezes mais ofensiva do que qualquer outra coisa.

 

 

 

 

 

A Última Tentação de Cristo (Martin Scorsese, 1988)

A-Última-Tentação-de-Cristo-poster-211x300Scorsese mostra Jesus como uma pessoa muito mais perturbada e dividida do que se imagina. Além de torná-lo mais próximo da humanidade que do sagrado, a narrativa retrata  Cristo sobrevivendo à crucificação e escolhendo o caminho mais fácil, que acaba sendo aquele apresentado pelo próprio demônio. O filme não foi lá tão bem recebido na época de seu lançamento e levou até indicação ao Framboesa de Ouro. Hoje, é colocado entre as melhores obras de Scorsese por aqueles que reconhecem a direção precisa e inventiva do cineasta, que torna ainda mais pesado o fardo que Cristo teve de suportar, ao dizer que ele também tinha uma escolha.

 

O Rei dos Reis (Cecil B. DeMille, 1927)

O-Rei-dos-Reis-poster-211x300Este épico mudo do megalomaníaco diretor Cecil B. DeMille foi uma das primeiras adaptações importantes da história de Jesus. Conta-se que DeMille exigiu por contrato que suas estrelas não fizessem nada que fosse contra a Bíblia durante um período de cinco anos, coisas como frequentar casas noturnas, jogar cartas, nadar, etc. O que não impediu que o ator H. B. Warner, que interpretou Jesus, tivesse um caso com uma figurante nos sets de filmagem. O filme ainda mostra os judeus como pessoas boas e caridosas, destacando o grupo que matou Cristo como constituído por pessoas ruins, como uma exceção na sociedade da época.

 

 

 

Jesus Cristo Superstar (Norman Jewison, 1973)

Jesus-Cristo-Superstar-poster-211x300Bem, por que não fazer uma ópera rock sobre a vida de Jesus? Baseado no espetáculo de sucesso da Broadway, criado por Andrew Lloyd Weber, o filme conta a história dos últimos seis dias da vida de Jesus pela visão do infame apóstolo Judas Iscariot. A narrativa é toda cantada e inclui algumas referências à vida moderna. Judas é um personagem complexo, que em nenhum momento concorda completamente com as ações de Cristo. Algumas músicas se tornaram bastante conhecidas, como Gethsemane e I Don’t Know How To Love Him.

 

 

 

O Código Da Vinci (Ron Howard, 2006)

O-Código-Da-Vinci-poster-211x300Embora não seja propriamente sobre Jesus, o livro O Código da Vinci, de Dan Brown, gerou bastante polêmica na época de seu lançamento. O Vaticano chegou a sugerir um boicote à obra, o que obviamente só aumentou sua popularidade e deu mais fama e dinheiro ao autor. A história fictícia do simbologista Robert Langdon, que parte em uma jornada que desafia vários dos dogmas e ensinamentos da Igreja, ganhou o mundo. Só para se ter uma ideia, a narrativa gira em torno da descoberta de que Jesus foi casado com Maria Madalena e de que ela seria o Santo Graal. A adaptação cinematográfica não chega a ser grande coisa e ainda criou uma franquia bastante medíocre e sem graça.

 

 

 

A Maior História de Todos os Tempos (George Stevens, 1965)

A-Maior-História-de-Todos-os-Tempos-poster-211x300Este filme sobre a história de Jesus conta com um elenco estelar, que inclui Max Von Sidow, Charlton Heston, Claude Rains e Martin Landau. Porém, é preciso paciência e alguma boa vontade para assisti-lo do início ao fim, já que o filme tem mais de quatro horas de duração e é bastante piegas. Apesar de ter recebido muitos elogios por sua estética e direção de arte, a obra acabou sendo um fracasso retumbante de bilheteria, talvez por ser, na maior parte do tempo, bastante chato e entediante.

 

Anúncios

2 comentários

  1. Olá!
    Informação importante:
    O filme “O Príncipe do Egito” retrata a saga de Moisés para libertar os escravos do Egito.
    A Páscoa judaica passou a existir a partir dos acontecimentos da história da libertação dos hebreus.
    Quando Jesus morreu e ressuscitou, já existia a Páscoa, e ele voltou nesta data comemorativa.
    Por isso chamamos de A PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO.
    E eu, como professora, sempre passo este filme aos meus alunos, para que compreendam a origem da Páscoa e o porque Jesus e Moisés também são personagens importantes desta data.

    Curtir

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s