True Blood S05E03: Whatever I Am, You Made Me | Review

Basta True Blood esquecer um pouco de suas histórias paralelas e a série começa a melhorar. Aproveitando um bom desenvolvimento da história principal, o terceiro episódio da quinta temporada foca nos principais acontecimentos até aqui: a morte de Debbie e a consequente transformação da Tara em vampira, e Eric e Bill tentando convencer a Autoridade a caçar o vilão Russel.

O episódio teve uma hora de duração, e passou bem rápido, foi tempo suficiente pra mostrar um pouco de cada coisa importante. A história sobre a criação da Pam, que começou no episódio anterior teve suas sequência de forma bem surpreendente. O flashback voltou ao começo dos anos 1900 pra mostrar que Bill e Erictinham uma rixa antiga e que Pam praticamente obrigou Eric a transformá-la. Provavelmente todo aquele papo de responsabilidade da criação servirá para que a criadora da Tara passe a cuidar melhor da sua cria nos próximos episódios.

Aqui e ali ainda teve algumas pontas soltas no episódio. Hoyt ficou com vontade de fazer o papel de corno revoltado, e resolveu aparecer em Fangtasia. Três minutos de tela só para ainda lembrarmos que o personagem ainda existe. O relacionamento do Xerife com a bruxa-garçonete (nem me dou ao trabalho de ficar decorando os nomes desse povo) foi para um outro nível, mas quem liga? E por fim, Terry resolveu passar um bom tempo fora fazendo não-sei-o-quê, com não-sei-quem, não-sei-aonde. A má notícia é que ou a série perderá tempo mostrando isso ou já já ele retorna e o lenga-lenga com o amigo dele continua.

Deixando de lado aquela chatice comum, Sookie até que foi bem aproveitada nesse episódio. Entre a investigação da morte da Debbie e a preocupação com a Tara fugitiva, o destaque que faltou nos dois episódios anteriores voltaram para a personagem, que até teve a oportunidade de mostrar seus poderes de fada soltando um kamehameha na Pam.

Aliás, falando em fadas, parece que a série retornará com esse tema que só foi tocado na season premiere da quarta temporada e depois foi esquecido. Jessica perseguiu uma pessoa que segundo ele tinha um cheiro maravilhoso, característica que sempre foi atribuída a Sookie pelo fato dela ser uma fada. De uma forma ou de outra, o importante é conduzir bem a história, não adianta apenas jogas personagens sem desenvolver nada, algo feito em anos anteriores pela série.

O Conselho da Autoridade ainda continua com suspeita em relação a Bill e Eric, algo que, pelo bem da série, deve se resolver rápido. Talvez Nora não siga o resto da temporada, mas entre a personagem sanguinista que chegou agora e a dupla dinâica Bill e Eric, não fica difícil fazer uma escolha. Ah, espero que usem mais aquele criança do Conselho, é impossível ver aquele pedaço de gente exigindo a morte verdadeira a Bill e Eric sem segurar o riso.

Mostrando uma história mais sólida, que envolve até releitura de história bíblicas, True Blood parece ter encontrado o tom da temporada atual, mesmo que Russel sequer tenha aparecido. Alguns falarão que o episódio não passou de um filler, entretando episódios assim são importantes pra mostrar que a série também pode ter uma história decente.

P.S.1 – Pelo visto Steve Newlin não voltou pra série apenas pra correr atrás do Jason e brincar de gato e rato com a Jessica. E isso torna sua história bem mais interessante.
P.S.2 – Como bem lembrou a leitora Fabiana nos comentários da review anterior, Lafayette comentou que o corpo de Jesus desapareceu, mas parece pouco se importar com isso. E espero que continue assim.

Leia mais sobre True Blood

 

 

Anúncios

5 comentários

  1. Eu achei o episódio fraco. Não vi muito avanço na trama principal. Do resto só me interessou a aparição do homem-fada e o passado de Pam. A principal função de Sookie foi correr atrás de Tara, o que não me deixou nada animada. E Tara deve passar a temporada toda revoltada sem motivo, porque Tara tem que ser revelada e cabeça-dura.

    Curtir

  2. As pessoas se esquecem que antes de true blood se tornar uma serie pop ela costumava ter uma historia com desenvolvimento lento e boa construção dos personagens, e não uma serie que cada episodio necessita de um final super impactante (que não causa mais impacto em ninguem)e acontecimentos corridos pra agradar os adolescentes que não ligam pra historia, e onde só apareçam os personagem pops que agradam todos. O que eu acho mais engraçado e a mania das pessoas de querer matar todos que não lhe agradam por um episodio, pra essas pessoas na serie deveria sobrar só  o Eric a Jessica a Pam e talvez aturar alguns outros como os protagonistas Bill e Sookie.

    Curtir

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s