Sombras da Noite | Crítica

sombras da noiteUm dos filmes que marcaram minha infância foi assinado por Tim Burton: Edward Mãos de Tesoura, com Johnny Depp no papel principal. Esta foi a primeira parceria de Depp com o diretor, Sombras da Noite (Dark Shadows) é a oitava. Desde o fraquíssimo Sweeney Todd, Depp contribuiu com Burton no pavoroso Alice no País das Maravilhas. Apesar de ser fã de ambos, estas três recentes parcerias foram decepcionantes. É, Sombras da Noite entra na lista negativa.

Em uma época onde o vampirismo está na moda, Sombras da Noite conta a história de Barnabás Collins (Depp), que após deixar Liverpool com os pais para fugir de uma maldição que atingiu a família, vai para os Estados Unidos. Vinte anos depois, Barnabás tem a cidade de Collinsport aos seus pés. Após partir o coração de Angelique Bouchard (Eva Green), sem saber que era uma bruxa, ela o transforma em vampiro, faz com que com sua amada Josette cometa suicídio e depois o tranca em um caixão. Aí temos aquela “velha” história de vampiros, sabem? A mulher morre, ele fica por anos vagando ou escondido, daí quando retorna encontra a reencarnação da amada…etc.

O que é animador, por um lado, é ver Johnny Depp em mais um de seus papéis excêntricos, mas desta vez sem cair no ridículo como em Alice, mesmo sendo quase um sósia de Michael Jackson. O melhor do filme é Eva Green, em ótima atuação no papel da vilã sedutora. Temos uma Michelle Pfeiffer em um papel nhé, Chloë Moretz fazendo a adolescente sensual/revoltada e com bons momentos cômicos, e uma ponta de cerca de dois segundos de Christopher Lee. Helena Bonham Carter não mostra um terço do que é capaz, com um papel bem bobo também.

O medo no início foi: como vai ser o fim disso? E não deu outra. Até a metade estava dando para levar, e dali para o fim ficou tudo errado. Tudo mesmo. Até lobisomem entrou na história! Tantos personagens e histórias que no fim ficou sem foco. O que incomoda também é que, apesar de ter graça em certos momentos, há a sensação de estar assistindo a um filme da Disney, que dentro de um ano estará passando na Sessão da Tarde.

Como acompanho desde sempre a pareceria dos dois, é inevitável se perguntar, ao assistir, onde estão Burton e Depp de Edward Mãos de Tesoura, Ed Wood e A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça. Também gosto muito de A Noiva-Cadáver e não tenho nada contra o remake de A Fantástica Fábrica de Chocolates, mas está na hora de ambos pararem. Ambos precisam sair desse marasmo em que se encontram desde Sweeney Todd e fazer coisas diferentes, principalmente Tim Burton.

Se você pode fazer filmes agradáveis e lindos como Edward, maravilhosos como Ed Wood e divertidos como A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, por que ficar na mediocridade?

 

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s