As Dez Melhores Histórias Dos Vingadores

Nesta sexta feira, 27 de Abril, a equipe criada por Stan LeeJack Kirby e Dick Ayers, enfim chega às telas do cinema em Os Vingadores, de Joss Whedon. Em comemoração a este evento preparamos um glorioso top10 com as dez melhores histórias dos Vingadores, o principal supergrupo da Marvel. A lista abaixo não está em ordem de preferência ou qualidade. Confira!

1) GUERRA KREE-SKRULL

Os-Vingadores-Guerra-Kree-Skrull-coverGuerra Kree-Skrull foi escrita por Roy Thomas e desenhada por Sal Buscema e Neal Adams em 1971 e1972. A história mostra os Vingadores tendo que intervir na guerra milenar do título quando as duas raças alienígenas transformam nosso planeta em um campo de batalha.

Lida nos dias de hoje a história escrita por Thomas pode ser vista como boba, devido a alguns diálogos e situações apresentadas na trama. Mas, embora tenha ficado um pouco datada, ainda é uma história bastante divertida de se ler. Isso porque, apesar de ter se tornado bastante cultuado entre os fãs dos Vingadores e de quadrinhos em geral, trata-se de um arco de histórias claramente despretensioso. Não há grandes tragédias e nem cenários épicos. O que temos são os Vingadores tentando resolver os vários problemas que os Krees e os Skrulls vão causando em nosso planeta, como patrocinar um motim dentro do reino dos Inumanos e transformar todos os seres humanos em homens das cavernas.

A Guerra Kree-Skrull cresce quando Neal Adams assume os desenhos na segunda metade da história. Não que Buscema faça um mau trabalho, mas o traço de Adam é claramente superior.

A presença desta história nesta lista era indispensável, pois “A Guerra Kree-Skrull” é um grande exemplar de uma ótima história que preserva algo quase perdido nas HQs, a inocência e o clima despretensioso.

2) A QUEDA DE HANK PYM

Os-Vingadores-A-Queda-De-Hank-Pym-coverA Queda De Hank Pym foi escrita por Jim Shooter e desenhada por vários artistas em 1981 e 1982. A história acompanha a degradação moral sofrida pelo herói do título. Movido por sentimentos como inveja e insegurança, Hank Pym (que já usou vários codinomes, mas na época era conhecido como Jaqueta Amarela) chega ao extremo de bater na esposa (a heroína conhecida como Vespa) e colocar em risco a vida de seus colegas de equipe, na tentativa de provar o seu valor como herói e cientista.

A Queda De Hank Pym trata de assuntos extremamente delicados como a violência doméstica e a insegurança masculina em relação ao sucesso feminino. Embora conte com a presença de supervilões e cenas de ação o roteiro de Shooter não é sobre a luta do bem contra o mal, mas sim sobre a queda de um homem diante de suas próprias fraquezas. Pym nunca é tratado como um vilão por Shooter, mas sim como alguém desesperado em reconquistar o respeito da esposa e dos colegas, mesmo que cada ação que tome pra isso só piore a sua situação. Mesmo alcançando alguma redenção ao final, Pym nunca mais foi visto da mesma forma pelos companheiros (ou pelos heróis).

Pela coragem em apresentar um conteúdo bastante intimista em uma história do começo da década de 80, A Queda De Hank Pym se firmou como um clássico dos Vingadores. Vale a conferida.

3) SOB ATAQUE

Os-Vingadores-Sob-Ataque-coverSob Ataque foi escrita por Roger Stern e desenhada por John Buscema em 1986 e 1987. A história mostra a Mansão Dos Vingadores sofrendo um ataque surpresa dos Mestres Do Terror, um grupo de supervilões liderados pelo Barão Zemo.

Com este enredo simples Sob Ataque se tornou o mais clássico confronto entre os Vingadores e os Mestres Do Terror.  O roteiro de Stern retrata todo o desespero dos heróis, que são pegos totalmente de surpresa pela invasão de seu quartel general. O Mordomo Jarvis, que está sozinho quando os vilões chegam, é quem mais sofre, sendo constantemente espancado e torturado por Zemo e seu grupo.

Ao mesmo tempo os heróis são mostrados de forma bastante humanizada. Hércules, por exemplo, paga caro por sua bebedeira e é cruelmente surrado pelos Mestres Do Terror, ficando à beira da morte. Já o Capitão América protagoniza um momento tocante no final da história. Depois de se manter totalmente impassível durante toda a batalha o Capitão não se contém no final e cai de joelhos, chorando, ao descobrir que o Barão Zemo destruiu todas as lembranças que ele guardava de sua vida pré congelamento, como a única fotografia que tinha da mãe.

John Buscema faz nesta história um de seus melhores trabalhos. Seus desenhos retratam toda a brutalidade das lutas entre os heróis e os vilões.

Sob Ataque é uma clássica história da luta do bem contra o mal. Mas faz isso humanizando bastante seus personagens e sendo pioneira na criação de tensão nas histórias em quadrinhos.

4) A VINGANÇA DE ULTRON

Os-Vingadores-A-Vingança-De-Ultron-coverA Vingança De Ultron foi escrita por Kurt Busiek e desenhada por George Perez em 1999.  Na trama, o robô Ultron sequestra seu criador Hank Pym ao mesmo tempo em que invade o pequeno país europeu da Slorenia, exterminando toda a população em questão de horas. Os Vingadores partem então para a Europa para resgatar Pym e impedir que a tragédia da Slorenia se repita.

No final da década de 90, a dupla Busiek/Perez assumiu o título dos Vingadores, que andava em baixa. Conseguiram então tirar os heróis da crise de público pela qual passavam, escrevendo ótimas histórias no processo.  A Vingança De Ultron foi o ápice da excelente fase da dupla. Recheada de ação, a saga deu de volta a Ultron, um dos mais tradicionais inimigos do grupo, seu lugar entre os grandes vilões do Universo Marvel.

Ultron não apenas surge mais poderoso do que nunca, com sua nova couraça de adamantium evibranium, como também tem um exército de cópias à sua disposição. Mas apesar da história ser ação pura, Busiek ainda encontra tempo para desenvolver seus personagens. Nunca o remorso de Hank Pym por ter criado Ultron foi tão bem retratado. Além disso, Busiek dá novos e interessantes contornos para a relação “pai e filho” dos robôs Ultron e Visão.

Com um roteiro desses, George Perez se esbalda desenhando as cenas de ação, mostrando os Vingadores enfrentando os exércitos de robôs e zumbis (!) do vilão.

Intenso, dramático e recheado de ação, A Vingança De Ultron é um exemplo de como se escreve uma história de super herói.

5) LIGA DA JUSTIÇA/VINGADORES

Liga-Da-Justiça-x-Vingadores-coverLiga Da Justiça/Vingadores foi Escrito por Kurt Busiek e desenhado por George Perez em2003. A trama, que coloca frente a frente os principais grupos da DC e da Marvel, começa quando Krona, um ser cósmico vindo do universo DC, passa a destruir vários universos em busca do segredo da criação. Ao chegar ao Universo Marvel ele encontra o Grão Mestre, um ser cósmico do universo Marvel, que, para defender a sua dimensão, desafia Krona para um jogo envolvendo os campeões dos dois universos.

Após o excelente trabalho a frente do título dos Vingadores a dupla Busiek/Perez ganhou o direito de escrever este lendáriocrossover, que já era planejado há anos pelas duas editoras, mas que nunca saía. O roteiro de Busiek homenageia as grandes sagas cósmicas da Liga e dos Vingadores e consegue agradar Marvetes e DCnautas no processo. Todos os principais heróis das duas equipes têm a sua chance de brilhar ao longo dos quatro capítulos. Busiek confere um clima épico à sua história, mas sem pesar a mão, fazendo de Liga Da Justiça/Vingadores uma leitura bastante gostosa.

A narrativa é recheada de momentos antológicos como o 1º encontro das duas equipes em Metrópolis, a cena em que a liderança do ataque conjunto da Liga e dos Vingadores é entregue ao Capitão América e é claro, o Superman avançando contra Krona segurando o martelo de Thor e tendo o escudo do Capitão no braço.

Perez manda muito bem nos desenhos aqui. Em uma página splash ele tem a oportunidade rara de desenhar metade dos personagens da Marvel e da DC no mesmo quadro. Decididamente não é pra muitos.

Liga Da Justiça/Vingadores é um prato cheio para um fã de quadrinhos, seja Marvel ou DC. O que podia ter sido só mais um crossover pipoca se transformou em uma das melhores histórias das duas equipes.

6) OS SUPREMOS. VOL. UM

Os-Vingadores-Os-Supremos-Vol.-Um-coverOs Supremos Vol. Um foi escrito por Mark Millar e desenhado por Brian Hitch em 2003. A história traz a versão Ultimate dos Vingadores, que neste universo são chamados de Supremos. Millar reinventa os Vingadores como um projeto da S.H.I.E.L.D. idealizado por Nick Fury. Uma super equipe criada para lidar com ameaças com as quais as forças comuns do governo não podem lidar.

Ao lado de Brian Michael Bendis, o roteirista Mark Millar foi o responsável pela criação do universo ultimate. Depois de reinventar os X-men para o século 21, foi dado a Millar a missão de fazer o mesmo com os Vingadores. Assim, Millar criou uma trama com forte teor político, diálogos ácidos e personagens ambíguos.

A obra de Millar e Hitch influenciou de forma clara o universo cinematográfico que a Marvel construiu nos últimos anos. O Nick Fury baseado na figura de Samuel L. Jackson já havia sido criado por Millar ainda em sua fase nos X-men Ultimate. Os uniformes cinematográficos do Capitão América e do Gavião Arqueiro são claramente baseados na visão de Millar e Hitch. O próprio conceito dos Vingadores como um braço da S.H.I.E.L.D. veio desta história, além da raça alienígena Chitauri, que também está no filme. Os Supremos Vol. Um é com certeza uma das principais bases do filme de Joss Whedon.

Vale a pena ser lida esta ácida história, que apresenta uma visão bem particular sobre os Vingadores.

7) VINGADORES: A QUEDA

Vingadores-A-Queda-coverVingadores: A Queda foi escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por David Finch em 2004. A história mostra a equipe sofrendo uma série de ataques repentinos e aparentemente aleatórios. Enquanto vários heróis tombam mortos a terrível verdade sobre os ataques começa a ser revelada.

Vingadores: A Queda foi a última história a retratar os Vingadores em sua formação clássica. A trama de Bendis joga a equipe no caos total ao colocar personagens mortos surgindo no portão do quartel general da equipe e velhos inimigos vindos do nada, atacando impiedosamente os heróis. Nunca o grupo foi mostrado tão indefeso e vulnerável quanto aqui.

Mas apesar de todos os ataques e perdas o roteiro de Bendis guarda o maior golpe na equipe para o final, com a revelação do responsável pelos ataques. Ninguém menos do que a Feiticeira Escarlate, uma das mais tradicionais heroínas da equipe. A Feiticeira teria enlouquecido ao relembrar a perda dos filhos (crianças que nunca existiram de fato, tendo sido criadas pelos poderes da mutante) e culpando os Vingadores por esta perda, resolveu destruí-los.  Ao final da trama, não resistindo aos traumáticos eventos, Capitão América e Homem De Ferro decidem dissolver a equipe.

Vingadores: A Queda não apenas voltou a colocar a equipe no centro dos acontecimentos do Universo Marvel, como também deu brecha para uma verdadeira revolução capitaneada por Millar e Bendis no Universo Marvel tradicional (tentando repetir o sucesso que haviam obtido na linha Ultimate).

Assim sendo Vingadores: A Queda se torna um item obrigatório para os fãs do grupo, por marcar um dos momentos mais dramáticos e desesperadores de sua história.

8) OS SUPREMOS. VOL. DOIS

Os-Vingadores-Os-Supremos-Vol.-Dois-coverOs Supremos Vol. Dois foi escrito por Mark Millar e desenhado por Brian Hitch de 2004 a 2007. A trama passada um ano após o Vol.1 e mostra a equipe sendo questionada pela opinião pública por ser usada pelo governo em sua “Guerra Ao Terror”. A situação piora quando alguém vaza para a imprensa a informação de que o Hulk e Bruce Banner são a mesma pessoa. Esse é o primeiro passo de um arrojado plano de Loki, que pretende lançar o mundo em uma nova guerra mundial.

Mark Millar aumenta a carga política nesta sequência da história de 2003, gerando assim questões bastante interessantes. Afinal, se Os Supremos trabalham para o governo americano, nada impede que eles tenham que travar as guerras do governo, certo? Assim sendo, Millar retrata o Capitão América liderando os Supremos em verdadeiras ações militares, invadindo países do oriente médio e tudo mais.

O roteiro de Millar faz severas críticas ao governo americano, mas não se esquece de desenvolver os personagens em seus próprios dramas pessoais. Bruce Banner é julgado por todas as mortes causadas pelo Hulk. Thor, o único membro da equipe que se recusa a acatar as ordens do governo, é acusado de ser um louco perigoso, gerando um dramático confronto com seus ex-colegas. Até mesmo o respeitado Capitão América tem sua credibilidade posta em cheque.

Os desenhos de Brian Hitch, que já eram deslumbrantes no Vol. Um, melhoram ainda mais nesta sequência. O clímax, que mostra Nova York sendo assolada por uma verdadeira guerra mitológica, é especialmente bem desenhado.

Os Supremos Vol. Dois é ainda melhor que seu antecessor. Ao mesmo tempo em que solta várias farpas contra o governo americano, constrói uma interessante trama de conspiração que culmina em uma batalha épica lindamente desenhada por Brian Hitch.

9) GUERRA CIVIL

Os-Vingadores-Guerra-Civil-coverGuerra Civil foi escrita por Mark Millar e desenhada por Steve McNiven em 2007. A história mostra os heróis tendo que lidar com a aprovação da chamada “Lei Do Registro”, uma lei que obriga cada vigilante ou qualquer ser com habilidades especiais a se registrar perante o governo, revelando inclusive sua identidade secreta. O Homem De Ferro acha que o mais coerente é acatar a lei. O Capitão América, entretanto, acredita que a lei é uma afronta à liberdade e deve ser combatida. Isso causa uma cisão não apenas na equipe dos Vingadores, mas em toda a comunidade heroica americana, iniciando a Guerra Civil do título.

Embora tenha a participação de vários heróis do universo Marvel,Guerra Civil coloca os Vingadores no centro da história ao colocar seus dois principais personagens em lados opostos. É interessante perceber que, na época dessa história, faziam parte da equipe personagens extremamente conhecidos do grande público como o Homem-Aranha e Wolverine, uma tentativa da Marvel de aumentar ainda mais a popularidade dos Vingadores.

Embora em menor grau, as críticas políticas que Millar teceu em Os Supremos também estão presentes aqui. O roteirista escocês apresenta argumentos válidos para ambos os lados do conflito, embora nitidamente acabe vilanizando um pouco o lado pró-registro liderado por Tony Stark.

Embora tenha um final anticlimático Guerra Civil possui um tom épico irresistível e diálogos bastante afiados escritos por Millar. Mesmo que os desenhos de Steve McNiven não sejam de encher os olhos seu traço parece ter casado perfeitamente com o tom sombrio e intimista da história.

Partindo de uma premissa interessantíssima Guerra Civil se mostrou uma excelente trama, trabalhando de forma perfeita a índole de seus personagens e, literalmente, dividiu a equipe dos Vingadores em seu término.

10) INVASÃO SECRETA

Os-Vingadores-Invasão-Secreta-coverInvasão Secreta foi escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por Francis Yu. A história mostra as duas equipes dos Vingadores que surgiram após a Guerra Civil, uma legalizada, e outra não, tendo que lidar com a descoberta de uma iminente invasão alienígena Skrull. Nos últimos anos os extraterrestres teriam secretamente se infiltrado entre a raça humana através da substituição de vários membros de importantes grupos da infraestrutura da sociedade terrestre, o que inclui também a comunidade dos super heróis. Quando a agressiva invasão Skrull começa os heróis devem colocar suas diferenças de lado e se unir, sem saber exatamente em quem confiar.

Assim como Guerra Civil, Invasão Secreta envolve grande parte do universo Marvel, mas coloca os Vingadores no centro da história. Bendis entrega um roteiro muito bem estruturado, mostrando a invasão Skrull à Terra como uma ocupação militar muito bem planejada, dividida em várias fases, o que inclui a tentativa de tentar convencer a população a “Aceitar A Mudança”. Além disso a narrativa desenvolve de forma bastante interessante a grande vilã da história, a Rainha Veranke, que traz uma interessante motivação religiosa por trás da invasão.

Já os heróis, além de combater os exércitos alienígenas que contam inclusive com a ajuda de super skrulls, têm que lidar com os rancores do passado e com a paranoia gerada pela invasão, afinal de contas, qualquer um pode ser um Skrull disfarçado, mesmo que não saiba. O roteiro de Bendis trabalha a crescente tensão de forma bastante habilidosa, guardando para a hora certa a virada dos heróis pra cima dos invasores, que acontece com a entrada de Thor e do novo Capitão América na batalha.

Os desenhos de Francis Yu são bastante competentes na maior parte do tempo, mas o grande destaque de Invasão Secreta é mesmo o roteiro de Brian Michael Bendis.

Invasão Secreta é uma história muito bem escrita e ilustrada, misturando de forma competente as clássicas histórias de invasão alienígena, com as tramas de desconfiança e paranoia que dominaram o universo Marvel nos anos 2000. Um pequeno clássico dos Vingadores.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muitas grandes histórias ficaram de fora da lista. Faço menção honrosa a algumas como A Saga De KorvacA Trilogia Do InfinitoTorneio De Campeões,  Operação Tempestade Galáctica eVingadores Eternamente. Mas existem muitas outras ótimas histórias além dessas estrelas por Capitão América, Homem De Ferro e Cia.

Artigo escrito por Rafael Garcez.

One comment

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s