Lana Del Rey – Born To Die | Crítica

4fb04fb883bdf209ce099d69f65d3b710251225bSe você é um indie alternativo, ou metido a, grave este nome pois provavelmente você ainda ouvirá falar bastante nele em 2012. Originalmente Elizabeth Grant (“Lana Del Rey” é um nome artístico inspirado na atriz Lana Turner e no Ford Del Rey, sim, o carro!), a cantora norte americana, filha do empresário musical milionário Rob Grant, passou por uma grande transformação de marketing nos últimos anos para finalmente se lançar no mundo da música e se tornar a nova queridinha dos hipsters de plantão.

O preparo iniciou ainda em 2009, quando a cantora, ainda com o nome Lizzy Grant, lançou o EP entitulado “Kill Kill”, que não chamou atenção da crítica nem do público. Nem sempre basta ter dinheiro pra fazer sucesso, aos poucos ela sumiu do mapa. Mas, de uma maneira marketinamente mitológica, a apagada Lizzy deu lugar a uma sensual Lana Del Rey. A antes Lizzy agora chama a atenção pós-transformação que segundo a cantora não ocorreu. Ok, vivemos em um mundo hipócrita, por que não admitir que fez plástica, mudou o nariz, encheu os lábios e ficou magra estilo modelo de passarela? Tudo isso colabora com a fama de diva montada que a nova iorquina vem recebido.
Mas como todo artista, a visão de bastidores é apenas um dos diversos ângulos que se pode conhecer. Lana já é um fenômeno da internet, independente de ter sido repaginada, de ter apagado o passado e outras coisas. No Youtube um vídeo com recortes de filmes antigos (quer algo mais indie alternativo que isso?) para a música “Video Games“, já teve mais 22 milhões de acesso. A cantora já tem contrato assinado com a Universal para lançamento do “primeiro” CD oficial em 30 de janeiro, mas o álbum já caiu na rede, propositalmente ou não, lançamento de álbum é algo que já saiu de moda.

Antes Lizzi Grant, agora Lana Del Rey

Mas e aí? Lana é tudo isso que andam falando mesmo? Sim e não. Sim, pois não há como negar que ela tenha talento. O álbum “Born To Die” é preparado para um público específico, e embora não ache que seja muito autoral, combina com a voz da cantora, forte e aveludada. Não se espante se aqui ou acolá você lembrar de Florence Welsh ou Cat Power, quando tiver ouvindo uma música dela. Foi feito sob medida, com músicas que provavelmente serão hits (como já são, antes mesmo do lançamento oficial), como Born To Die e a já citada Video Games.

O disco começa com a música que dá nome ao álbum; Born To Die é um bom exemplo da Lana Del Rey que funciona, bem tranquila com toques de orquestra e guitarra, a música também já ganhou um videoclipe. Outra música que surpreende é Diet Mountain Dew que possui uma batida que lembra o hip-hop da década de 90, fora a letra que gruda: “You’re no good for me/ Baby you’re no good for me/ You’re no good for me/ But baby I want you, I want you”

A mais sincera das músicas parece ser Without You, que abre com “Everything I want I have: Money, notoriety, rivieras/ I even think I found God/ In the flash bulbs of your pretty cameras/ Pretty cameras, pretty cameras/ Am I glamorous? Baby, am I glamorous?”. Lucky Ones, possui uma boa introdução, apesar de um letra não muito inspirada. O grande triunfo de Lana Del Rey é encontrar uma harmonia entre o ritmo de suas músicas e sua voz, e boa parte deste CD de estréia traz essa combinação.

A Lana que não corresponde a todo o hype feito na mídia diz respeito a duas coisas: composições e performances. A maioria das músicas, caem no clichê da pobre menina que sai em busca do cara que não dá a mínima pra ela, ou vice-versa. A exemplo cito: “I just wanted you to know/That baby you’re the best” de Summertime Sadness ou ainda em Off To The Race, que é bem mais explícito: My old man is a bad man/ But I can’t deny the way he holds my hand/ And he grabs me/He has me by my heart.

Acredito que o fato de Born To Die ser um disco bastante depressivo contribua para esse tema-comum, uma pena já que poderia ser um álbum mais autorial, mais intimista. Apesar desses momentos, algumas faixas possue alguns versos de grande inspiração como a estrofe que inicia Carmem: Darling, darling, doesn’t have a problem/ Lying to herself cause her liquour’s top shelf/ It’s alarming honestly how charming she can be/ Fooling everyone, telling how she’s having fun.

No que se refere à performances, ainda falta um pouco para que Lana Del Rey possa se consagrar como uma grande artista. A impressão que tive ao ver videos ao vivo da cantora era que, o que parecia bonito na versão de estúdio se tornava awkward quando mostrada ao vivo. Não que o talento dela seja montado, ainda é possível reconhecer uma voz doce, mas parece que ela se esforça demais pra alcançar aquele resultado satisfatório. Talvez a solução aqui seja umas aulas de teatro, algo que desenvolva a pouca presença de palco dela.

Fora que a impressão que fica é que ela não tem noção de como se portar, o que acaba tornando a apresentação dela algo bem sem sal: ela dá um volta, mexe no cabelo, bota a mão pra trás, mexe no cabelo de novo, ameaça um passo pra direita, mas desiste no meio do caminho, mexe no cabelo, balança os ombros e pra terminar com algo diferente, balança os cabelos. Não acreditou? Veja logo abaixo a apresentação do single Video Games no Saturday Night Live que foi ao ar em 14 de janeiro deste ano:

http://pt.musicplayon.com/embed-v2?v=477765

De fato há um motivo para o mundo da música estar apostando em Lana Del Rey em 2012, a moça tem talento, mas tem parar de tentar de “moldar pra se encaixar”, ela não precisa disso.  Talvez o problema aqui seja o fato dela ser uma vítima da rápida ascenção à diva indie. Recentemente Del Rey decidiu limitar o número de pessoas presentes em sua turnê, segundo consta, ela não quer cantar para mais do que 900 pessoas, uma medida arriscada pra quem é tida como a grande aposta do ano. Parece que finalmente o sucesso que ela tanto queria veio: “Now my life is sweet like cinnamon/ Like a fucking dream I’m living in/ Baby, love me cause I’m playing on the radio”.


lana del rey born to dieLANA DEL REY
Born To Die
[Interscope, 2012]

Cotação-4-5

Tracklist:
1. Video Games
2. Blue Jeans
3. Born To Die
4. Put The Radio On
5. Million Dollar Man
6. Diet Mountain Dew
7. Summertime Sadness
8. Carmen
9. Off To The Races
10. This Is What Makes Us Girls
11. Lolita
12. National Anthem
13. Without You
14. Dark Paradise
15. Hund Doll Bill

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s