White Collar S03E11 – Checkmate | Review

A segunda metade da 3º terceira temporada de White Collar finalmente voltou a ser exibida no dia 17 de janeiro. Pareceu uma eternidade desde a última review, e pra quem não lembra muita coisa do que havia acontecido, aqui vai um pequeno “previously”: Mozzie e Neal discutiram acerca do destino de cada um, Mozzie queria sumir com o tesouro enquanto Neal ainda hesitava diante da vida que ele havia construído no FBI. Além disso, Keller disse a Peter que Neal estava com a posse do tesouro sumido e ah, ele sequestrou Sra. Engravatada Elisabeth pra conseguir o tesouro de volta.

Decisão acertada a dos roteiristas de não estenderem o sequestro de El por mais de um episódio, White Collar sempre soube dosar bem o quantum da história principal nos casos da semana, mas dessa vez o foco foi em resolver problemas, esquecer mágoas e voltar aos trilhos normais. Até porque, o desaparecimento de uma personagem secundária não é fato suficiente para segurar uma trama por muito tempo (viu, The Walking Dead?).

Se por um lado a resolução de problemas dá segurança aos personagens, por outro quebra o ótimo clima de tensão que havia entre Peter e Neal, mas que resulta em ótimas cenas com Peter confrontando Neal pessoalmente, em uma reação natural a alguém que acabou de receber a notícia que sua esposa havia desaparecido. Pelo menos a solução que escolheram pra acabar com essa guerra de cão e gato não soou forçada e encaixou direito na trama. Daqui em diante, a série deverá tomar outra direção que não a disputa entre Peter e Neal.

Como havia dito na review do summer finale, o sequestro de El foi ponto-chave pra fazer com que Mozzie voltasse a Nova York, apesar de ter achado bem ridícula a comunicação por pombo correio, mas foi tão rápido que logo a gente esquece. Mozzie assim como Neal está percebendo que uma hora planejar grandes golpes vai cansar e que não faz mal fazer alguns amigos aqui e acolá.

White Collar sempre cria uma situações absurdas, mas originais, que servem de base pro episódio. Em “Checkmate” quem imaginou que veríamos Peter, Neal, Mozzie e Keller planejando um furto? Um plot bem amarrado e com um ótimo desfecho, diga-se, não é muito comum vermos um corpo-a-corpo na série, mas aqui a briga envolvendo Neal, Peter e Keller ganha seu destaque no episódio.

Encerrado portanto o clima que dominou na metade inicial dessa temporada, o cliffhanger do episódio não poderia vir em hora melhor. Neal enfim poderá se tornar um homem livre devido aos serviços prestados ao FBI. Veio em hora certa pois Neal não mais tem a ansia de fuga, já ele optou por ficar em NY, segundo que o truque da tornozeleira já estava soando repetitivo demais, e não acho que os roteiristas poderiam pensar em formas do Neal se livrar dela. É um grande passo para a série, mostra que os personagens estão evoluindo. Mas será uma boa decisão para o da série? Sim, o que move a série hoje em dia é a dinâmica entre Peter e Neal, e eu não vejo isso mudando somente pelo fato de Neal não ter uma tornozeleira eletrônica. Além do mais, a série sempre se mostrou capaz de gerar tramas originais envolvendo os personagens.

Obs.: Gostei da Sra. Engravatada não ter ficado apagada apenas como vítima no episódio. Aliás, seria meio impossível crer que o FBI seria capaz de resolver um sequestro sem muita ajuda em tão pouco tempo.

Obs. 2: Faltam apenas 5 episódios para o fim dessa temporada.

Leis mais sobre White Collar.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s