True Blood S04E11 – Soul of Fire | Review

True Blood conseguiu se recuperar do desastre que foi os dois episódios anteriores, primeiro porque, finalmente deixaram de lado as histórias paralelas que ninguém liga e focaram naquilo que realmente deu certo nessa temporada, a guerra vampiro X bruxas. O episódio teve defeitos sim, mas eu já tava com minhas expectativas tão baixas que fui até surpreendido.

Começarei com a parte ruim do episódio: Xerife Andy. Não sei porque os produtores ainda insistem nesse personagem que deve ter superado a Tara no quesito “ódio dos espectadores”. Quando você acha que a trama mais inútil de toda a série chega ao fim, inventam uma conexão dele com as fadas (WTF?!). Fadas são como botos da Amazônia, que saem na calada da noite pra engravidar de desavisados que andam sozinho? A parte boa disso no episódio é que foi rápido, a parte ruim é que “Andy-dedo-de-ET” poderá ter mais importância futuramente.

Pelo visto Jason e Jessica irão mesmo ficar juntos. Hoyt sequer apareceu nesse episódio, nem tinha espaço pra ele. Já que isso já tá mais que decidido, espero que saia coisa boa daí. A separação do casal 20 da série conseguiu deixar a Jessica quase insuportável, era toda hora “Jason isso!”, “Jason aquilo!”. Aliás esse romance repentino dos dois me soou tão fail quanto a história das panteras que foi tão ridículo que ninguém nunca mais deu nenhum miado a respeito.

Aproveitando que falei em miados, o plot do Sam teve seu encerramento de maneira satisfatória. Não tomou muito tempo do episódio e foi eficiente. Todos sabiam que aquele outro lobo lá (não me preocupo em guardar esses nomes) iria morrer, e eu bem que avisei que juntá-lo com a Debbie era a desculpa perfeita pra fazer o Alcides se envolver nessa morte, de quebra ela ainda levou o fora, menos uma. Aos poucos a série vai reduzindo o número de personagens desnecessários. Que continue assim.

Vamos ao que interessa, o plot que havia sido esquecido há algum tempo. Apesar do arrependimento da bruxa Antônia ter sido bastante repentino, isso não me incomodou. A união (ou “fusão”, se você acompanhava Dragon Ball Z) de Antonia e Marnie foi a desculpa perfeita pra justificar esse episódio, dessa forma Jesus poderia mostrar alguma coisa de útil na série (tava demorando), e ao mesmo tempo seria mais fácil aceitar a morte de Marnie, sendo ela uma pessoa descontrolada. Por falar na morte dela, foi bacana ver o Eric badass de volta à ativa bebendo sangue no canudinho e em seguinda a morte de Antonia. Seria melhor, entretanto, se ele minutos antes não tivesse concordado com a ‘morte real’ pela Sookie. Parecia o Eric desmemoriado falando.

E você achou mesmo que True Blood iria abrir mão da sua vilã assim, no penúltimo episódio, morta a tiros? Laffayette, que já virou mãe-de-santo aberta 24 horas por dia pra espíritos desesperados, engoliu Marnie e vai perturbar um pouco mais na season finale. Tenho algumas preocupações quanto a isso. Primeiro, se o grande poder de Marnie era provindo de Antonia, de que adiantará esse união? O próprio episódio mostrou que sem a fusão, Marnie era apenas uma bruxa sem um grande diferencial. Segundo, considerando que essa união traga algum poder novo, seria de extrema pieguisse que Marnie voltasse apenas por voltar, pra ser morta novamente sem que ela faça algo relevante em razão disso. Tô na torcida para que ela mate o Andy. Wish me luck!

Leia mais sobre True Blood

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s